18º Congresso Mundial da IUAES

Início do evento
E-mail contato
dtgallois@gmail.com
Local
Universidade Federal de Santa Catarina
O evento será gratuito ou pago?
pago
É necessário fazer inscrição?
Com inscrição prévia
Emissão de certificado
Sim
Descrição

A professora Dominique Tilkin Gallois, docente do Departamento de Antropologia da FFLCH USP, participará do 18º Congresso Mundial da IUAES (International Union of Anthropological and Ethnological Sciences), com o painel Multiplicidades territoriais, circulações e desafios de gestão: por uma abordagem comparativa de definições e práticas.

O evento acontecerá na Universidade Federal de Santa Catarina, entre os dias 16 e 20 de julho de 2018. 


O tutorial para inscrição e submissão de propostas para o congresso encontra-se em: http://www.inscricoes.iuaes2018.org/site/capa.

 

Multiplicidades territoriais, circulações e desafios de gestão: por uma abordagem comparativa de definições e práticas

                                                                                                         
 

orgs. Dominique Tilkin Gallois (USP), Aline Iubel (UNICAMP)

e Stéphanie Tselouiko (EHESS-LAS/UFSCar)
 

 

Em seu projeto de estudar coletivos humanos e suas relações com o meio, a pesquisa antropológica se inscreve, inevitavelmente, em uma territorialidade, seja ela geograficamente circunscrita ou reticular, seja um espaço físico ou virtual. As territorialidades, definidas como concepções e práticas singulares do espaço em interação com os seres que o compõe, são perpetuamente constituídas e reconfiguradas de maneira recíproca com a constituição dos coletivos que as habitam e atravessam. Em um mundo globalizado, caracterizado por uma circulação cada vez mais intensa de pessoas, bens e saberes, essas fronteiras vivas são incessantemente redefinidas por aqueles que as transcendem. As transformações socioambientais provocadas pelas mudanças climáticas e pelos projetos de desenvolvimento são uma das causas maiores dessas (re)configurações, mas, projetos e iniciativas de gestão territorial também têm lugar nessa dinâmica. A partir de abordagens antropológicas e de dados etnográficos diversos, este painel pretende comparar os métodos de pesquisa, os quadros teóricos mobilizados e os modos de análise dos dados nos estudos das territorialidades, segundo os países de estudo e os países produtores de conhecimento, em função de sua história (colonial, por exemplo) e de suas respectivas legislações concernentes aos territórios e aos coletivos humanos e não-humanos que, hoje, mais do que nunca, suscitam controvérsias políticas e sociais.

 

Palavras-chave: territorialidades, circulação, governança, projetos de desenvolvimento, comparação.


 

Interessados devem enviar resumo para Dominique Tilkin Gallois (dtgallois@gmail.com), Aline Lubel (alineiubel@gmail.com) e Stéphanie Tselouiko (stephanie.tselouiko@gmail.comaté 14 de fevereiro de 2018.