Nota à imprensa sobre a avaliação dos programas de pós-graduação na matéria da Folha de S.Paulo, de 26.03.2018

Por
Redação
Data de Publicação
Editoria
Comunicados Oficiais

 

A Direção da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP) e a Comissão de Pós-Graduação da Unidade (CPG) vêm a público esclarecer questões levantadas sobre o resultado da Avaliação Quadrienal 2017 da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), na matéria Por que morre um curso de pós-graduação na melhor universidade do país?, publicada na Folha de S.Paulo, em 26 de março de 2018. 

A pós-graduação da FFLCH-USP está organizada em 26 programas e, na referida avaliação da Capes, no período de 2012 a 2016, apenas quatro programas apresentaram desempenho inadequado: Língua, Literatura e Cultura Russa; Estudos Judaicos e Árabes; Estudos da Tradução; e História Econômica. 

Esses quatro programas juntos, no período avaliado pela Capes, tiveram 1.318 matriculados e 203 titulados.

A Faculdade tem atualmente 2.718 alunos de pós-graduação matriculados, nos níveis de mestrado e doutorado, e, somente em 2017, ocorreram 635 defesas de dissertações e teses (320 mestrados e 315 doutorados). A produção científica da Unidade é ampla e reconhecida, e muitos dos seus docentes e alunos receberam prêmios de diversas instituições de pesquisa, incluindo o Prêmio Capes de Tese.

Além disso, a CPG da FFLCH-USP informa que os programas Estudos da Tradução; Língua, Literatura e Cultura Russa; e Estudos Judaicos e Árabes, que estão com nota 3/2 na Capes, estão se integrando ao programa Estudos Linguísticos e Tradutológicos em Francês, que é avaliado com nota 5. Juntos, os atuais programas passarão a se chamar Programa de Letras Estrangeiras e Tradução – LETRA. O novo programa já está aprovado pela USP e tem funcionamento previsto para o primeiro semestre de 2018.

O que aconteceu com esses cursos foi uma fusão, uma remodelação e, portanto, não cabe dizer que estes três programas vão acabar ou “morreram” como foi escrito na matéria citada anteriormente.

Vale ressaltar, novamente, que a Avaliação Quadrienal 2017 ainda não é definitiva, pois, conforme a Portaria n° 246, de 19 dezembro de 2017 publicada pela Capes, há a possibilidade de recurso. Os resultados foram divulgados pela primeira vez em setembro de 2017 e, dos 14 programas da Unidade que entraram com recurso após a primeira fase, quatro tiveram suas notas elevadas. 

Em 8 de janeiro deste ano, a coordenação do programa de História Econômica, único no país em sua área de concentração, apresentou um recurso à presidência da Capes. Esse recurso ainda não tem data para ser julgado e, por isso, enquanto o processo não for finalizado, o programa não pode ser descredenciado. 

 

São Paulo, 26 de março de 2018