Histórico

CENTRO ÁNGEL RAMA

HISTÓRlCO DAS ATIVlDADES DO CENTRO ÁNGEL RAMA

Introdução

Os docentes de diversos Departamentos da FFLCH, que depois comporiam o Centro Ángel  Rama, começaram a se reunir já no ano de 1979, no intuito de encontrar mecanismos que  permitissem integrar, de alguma maneira, os trabalhos de pesquisa que cada um deles individualmente desenvolvia, já que todos esses trabalhos relacionavam-se com o contexto cultural ibero-americano ou latino-americano. A idéia de criar um Centro Interdepartamental, no entanto, só ficou definida em 1985, quando se optou também por designá-lo com o nome do ilustre intelectual uruguaio falecido em 1983. No momento fundacional do Centro, participaram das reuniões docentes dos Departamentos de História, Sociologia, Teoria Literária e Literatura Comparada, Letras Modernas e Letras Clássicas e Vernáculas. 

As múltiplas atividades desenvolvidas pelos integrantes do Centro dificultaram, porém, os cuidados com a institucionalização deste. As atividades e reuniões informais, no entanto, continuaram, sendo possível estabelecer um registro continuado de atividades formais a partir de I988, como fazemos a seguir.

1988

Reuniões para a elaboração do projeto "Pesquisa integrada em Literatura e História", a ser apresentado ao Convênio USP/BID, incorporando os trabalhos de dez docentes.

1989

Aprovação pelo Convênio USP/BID do projeto acima mencionado. Seminários mensais interdisciplinares com apresentação e discussão de textos elaborados pelos participantes no projeto, dos quais resultou o livro intitulado Literatura y Historia en Latinoamérica, organizado por Ligia Chiappini. Tal livro, cuja tradução ao espanhol foi custeada pelos próprios autores, saiu publicado no México, com verba do Itamarati, mas estranhamente saiu com outro título, "Historia y cultura en la conciencia brasileña”, e outro organizador, Leopoldo Zea, que não participou em nenhum momento do projeto acima (troca de cartas, conservadas nos arquivos do Centro, comprovam este fato, bem como a Introdução de Antonio Candido ao mesmo livro, que atribui corretamente a organização a Ligia Chiappini). Além de substituir o título e o nome da organizadora, essa publicação também ignorou as instituições que patrocinaram o livro: o próprio Centro Ángel Rama e o BID-USP, substituídos pela UNAM e o Instituto então dirigido por Leopoldo Zea, mistério que nunca se esclareceu devidamente.

1990 

Viagens ao exterior pelos participantes do projeto para o desenvolvimento de pesquisa e estabelecimento de contatos com intelectuais estrangeiros especializados no assunto. As viagens, nesta fase, destinaram-se à Espanha, França, Canadá, Estados Unidos e México.Apresentação de trabalhos de sete dos participantes do projeto no Seminário "Relaciones entre Literatura e Historia", realizado em janeiro na Universidad Complutense, de Madrid, com o apoio do Instituto de Cooperacion Ibero americana. Alguns desses trabalhos foram selecionados e publicados nos anos seguintes pela revista Cuadernos Hispano-americanos.

1991 

Preparo da edição do livro Literatura y Historia en Latinoamérica, que veio a ser publicado no México, conforme explicado acima, com o título de Historia y cultura en la conciencia brasileña. Concretização de convênio com a Universidad de la Habana, Cuba, com a ida do Prof. Dr. Flávio Wolf de Aguiar à mencionada Universidade para ministrar curso de Literatura Brasileira e o convite à Prof.a. Dra. Margarita Mateo para ministrar curso de Literatura Hispano-Americana na FFLCH/USP. 

Realização em São Paulo, no mês de setembro, do "Seminário Internacional sobre Literatura e História na América Latina" dentro da segunda etapa do projeto financiado pelo Convênio BID/USP. Participaram do seminário 14 convidadas estrangeiros e 40 pesquisadores de diversos departamentos da FFLCH/USP, bem como professores aposentados da casa e pesquisadores da UNICAMP.Realização de viagens complementares ao estrangeiro (Argentina, Canadá, México) por alguns dos participantes do mencionado projeto.Curso sobre "Picaresca espanhola e neopicaresca ibero-americana" ministrado pelo Prof. Dr. Mario M. González na Universidad Nacional de Córdoba (Argentina), no mês de outubro, como parte do projeto acima mencionado. O projeto assim desenvolvido com o apoio do Convênio USP/BID apresentaria ainda, com posterioridade ao seu encerramento em 1991, os seguintes resultados: Teses de livre-docência: Mario Miguel González (1993): "A saga do anti-herói - Estudo sobre o romance picaresco espanhol e algumas de suas projeções na literatura brasileira" (publicada em livro).

Teses de doutoramento produzidas na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas que se beneficiaram das discussões com pesquisadores do Centro, enquanto estavam sendo elaboradas:

Maria Augusta da Costa Vieira: Obliqüidade do engenhoso cavaleiro Dom Quixote de la Mancha - Auto-referencialidade textual e construção da personagem (1992)

Sandra Guardini Vasconcelos:Puras misturas: o imaginário da histórias em "Uma estória de amor de João Guimarães Rosa" (1991).

Valéria De Marco: A perda das ilusões. O romance histórico de José de Alencar (1991).

Livros publicados:

CHIAPPINI Moraes Leite, Ligia. No entretanto dos tempos: Literatura e história em João Simões Lopes Neto. São Paulo: Martins Fontes, 1988. 

GONZÁLEZ, Mario M. A saga do anti-herói. São Paulo: Nova Alexandria, 1994. 

CHIAPPINI Moraes Leite, Ligia (indevidamente substituída por ZEA, Leopoldo (Ed.). Literatura y Historia en Latinoamerica (indevidamente publicado como História y conciencia en la literatura brasileña. México: FCE, 1993. 

CHIAPPINI Moraes Leite, Ligia; AGUIAR, Flávio Wolf de (Orgs.). Literatura e História na América Latina. São Paulo: EDUSP, 1993. 

Além disso, diversos artigos foram publicados pelos participantes do projeto em revistas nacionais e estrangeiras.

1992

Vinda da Prof.a. Dra. Margarita Mateo, da Universidad de la Habana, Cuba, no segundo semestre, para ministrar curso de pós-graduação sobre Literatura Hispano-Americana, durante três meses, na FFLCH/USP.

Criação de um grupo de pesquisa, com ó bolsistas de Iniciação Científica (CNPq) para estudar a obra de Ángel Rama. Os resultados foram apresentados no "I Simpósio de Iniciação Científica da USP", em 1993.

1993

Vinda da Profa. Dra. Diony Durán, da Universid de la Habana, Cuba, mediante o convênio acima mencionado, para ministrar palestras na FFLCH/USP e para participar de Seminário sobre "Ángel Rama e o conceito de América Latina" na UNICAMP.

Promoção de conferências da Prof.a. Dra. Eva Kushner, da University of Toronto, Canadá, e do Prof. Dr. Ugo Achúgar, da Universidad de Montevideo, Uruguai, na FFLCH/USP.

1994

Criação de um grupo de pesquisa, com ó bolsistas de Iniciação Científica (CNPq), para estudar a obra de Antônio Cândido, visando a um estudo comparativo posterior com a obra de Ángel Rama. Os resultados foram apresentados no "II Simpósio de Iniciação Científica da USP".

Vinda do poeta e professor Gaston Miron, da Université de Montréal, Canadá, para a realização de palestras e seminários sobre a poesia do Québec. Atividade realizada conjuntamente com a UFRGS, UNICAMP e PUC de Santos.

Seminário "Magic of Words: João Guimarães Rosa" ministrado pela Prof.a. Dra. Sandra Vasconcelos no Centre of Latin American Studies da University of Cambridge.

1994/1995

Continuação dos trabalhos do grupo de pesquisa acima mencionado, com seus integrantes agora como bolsistas de Aperfeiçoamento (CNPq), com previsão da elaboração, até o fim do período, de uma antologia com ensaio introdutório.

1995

Vinda do professor e editor Edgard Gousse, da revista Rupture e do "Gran Prix de la Ville de Montréal", para a realização de palestras sobre a literatura do Québec e a preparação de um número especial de Rupture sobre a literatura do Brasil. Atividade conjunta com a UEBA, UFF, UFRGS e a Embaixada do Canadá no Brasil. 

Organização de Seminário Internacional sobre "Gêneros de fronteira: cruzamentos entre o histórico e o literário", coordenado por Ligia Chiappini Moraes Leite e organizado com o auxílio9 de uma comissão composta por Flávio Wolf de Aguiar, Sandra G. Vasconcelos e José Carlos Sebe Bom Meihy. em conjunto com o Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada da FFLCH/USP e do Instituto de Estudos da Linguagem da UNICAMP (22 a 26 de maio). Com a apresentação de trabalhos pelos membros do Centro que viriam a ser publicados no livro citado mais adiante.

Visita do Prof. Raúl Solsnovski, da Universidade de Maryland, para ministrar conferências.

Desenvolvimento de pesquisa sobre a obra do crítico Antônio Cândido, com a participação de três alunas bolsistas de Iniciação Científica.

1996

1a. reunião de instalação oficial do CAR, para definição do programa de atividades do CAR para 1996/97 e escolha da diretoria e do Conselho Deliberativo. Passagem da diretoria de Ligia Chiappini Moraes para Flávio Wolf de Aguiar.

Apresentação do programa de pesquisas do Centro, dentro da programação Trilhas de Pesquisa da FFLCH, em 18/03/96.

Preparação e edição de dois livros: Antologia de Ángel Rama, a ser publicado pela EDUSP, e Gêneros de Fronteira, a ser publicado pela Editora Xamã.

Seminários internos com os alunos de Iniciação Científica, dando continuidade ao Projeto !'Pensadores da Literatura e Cultura Latinoamericanas: a obra de Antônio Cândido".

Participação no Simpósio de Iniciação Cientifica realizado na USP, no âmbito do PIBIC/CNPq/USP.

Participação de pesquisadores do Centro no  Seminário Leituras Cruzadas, organizado pelo Centre de Recherches Latino-américaines, da Universidade de Poitiers, França, no mês de junho, no âmbito dos encontros do grupo de Pesquisa Internacional de Literatura e História, Clíope, coordenado por Sandra Jatahy Pesavento e Ligia Chiappini Moraes Leite.

Participação de pesquisadores do Centro na III Brasa Conference, da Brazilian Studies Association, realizada em Cambridge, Inglaterra, em setembro. Apresentações de Flávio Wolf de Aguiar, José Carlos Sebe Bom Meihy, Ligia Chiappini e Sandra G. Vasconcelos na mesa redonda, por eles organizada, sobre Visões da Europa a partir do Brasil, cujos resultados seriam publicados mais tarde na série Comarca. 

Cursos de Literatura Brasileira ministrados pelo Prof. Flávio Wolf de Aguiar, em Berlim, Alemanha (abril julho) e em Abdijã, Costa do Marfim (dezembro).

1997

Posse da Profa. Dra. Ligia Chiappini Moraes Leite como titular da primeira Cátedra de Literatura e Cultura Brasileiras (Brasilianistik) da Alemanha, no Instituto de Estudos Latino-americanos da Universidade Livre de Berlim. Início, por iniciativa da mesma professora, do convênio da Universidade Livre com a Universidade de São Paulo, que permitiria estabelecer um intercâmbio permanente entre o Instituto de Estudos Latinomaericanos e o Centro Ángel Rama, organizando, daí para a frente, vários eventos e publicações conjuntas.

Visita do Prof. Dr. Antonio Melis, da Universidade de Siena, Itália, Conferência sobre Literatura Andina, publicada posteriormente na série Comarca.

Realização do Seminário Internacional Cruzamentos entre o Histórico e o Literário, em Campos do Jordão, nos dias 21-24 de Agosto. 

Visita do Prof. Dr. Berthold Zilly, do Instituto de Estudos Latino Americanos da Universidade Livre de Berlim, no âmbito do convênio acima citado, para realização da palestra O Sertão, berço ou nação? Notas sobre Os sertões, de Euclides da Cunha, em 7/lO/97.

Participação dos pesquisadores do Centro na IV Brasa Conference, realizada em Washington, DC, em novembro. Mesa-redonda sobre Literatura, História e Antropologia, organizada e realizada por Cláudio Bertolli, Flávio Wolf de Aguiar, José Carlos Sebe Bom Meihy, Ligia Chiappini Moraes Leite e Sandra G. Vasconcelos.

1998

Organização e realização do evento Antonio Candido: pensamento e militância (março-agosto).

Publicação e lançamento do livro Gêneros de Fronteira: cruzamentos entre o histórico e o literário, relativo ao Encontro de 1995.

Seminário sobre a obra de Oduvaldo Vianna Filho, organizado pelo Núcleo de Estudos Teatrais do CAR (maio).

Continuidade do Programa de Iniciação Científica sobre Pensadores de América Latina - A obra de Antonio Candido, com organização de antologia.

Participação no Simpósio de Iniciação Científica, realizado na USP, no âmbito do programa PIBIC/CNPq/USP (outubro).

Seminários internos do Núcleo de Estudos Teatrais, coordenados pela Profa. Maria Silvia Betti. 

Palestra do Prof. Maximilien Laroche, da Universidade de Laval, Quebéc, intitulada Pós-modernismo e literaturas dos povos colonizados, a convite do CAR e da área de Francês do DLM e patrocinada pela FAPESP (maio).

Participação no Seminário Brasil: um país do passado?, organizado por Ligia Chiappini e Berthold Zilly, em Berlim, no Instituto de Estudos Latino-Americanos da Universidade Livre, em parceria com o Instituto Cultural Brasileiro na Alermanha (ICBRA), com apresentação de trabalhos por professores do Centro (junho).

Participação nos Seminários Acadêmicos das Universidades de Bremen e Berlim sobre Escravidão, Abolicionismo, Messianismo e Sebastianismo (julho).

Cursos de Pós-graduação nas Universidades Federais da Bahia e de Minas Gerais sobre a obra de Guimarães Rosa (agosto).

Participação e colaboração na organização do encontro dos pesquisadores sobre Literatura e História (Grupo Clíope) em Porto Alegre, na Casa de Cultura Mário Quintana (setembro).

Além destas atividades acadêmicas, o Centro empenhou-se na obtenção e organização de acervo próprio, estabelecendo, inclusive, intercâmbio de publicações com Instituições nacionais e estrangeiras, e na aquisição de equipamentos em geral. O Centro contou também, desde janeiro desse ano, com uma funcionária em tempo integral e teve sua sede inaugurada oficialmente em maio.

2º. semestre de 2000

Participação, com apresentação de trabalhos, de Flávio Wolf de Aguiar e Ligia Chiappini Moraes Leite no Simpósio Internacional coordenado por Maria Helena Martins, do Centro Cyro Martins, sobre Fronteiras Culturais: Brasil, Uruguai, Argentina, na Casa de Cultura Mário Quintana, em Porto Alegre.

1º. semestre de 2001


Intercâmbio de Publicações

Organização de Eventos

Palestra do Prof. Dr. Fernando Vecino Alegret - Ministro da Educação Superior em Cuba (organizada juntamente com o Centro de Estudos Portugueses)

Palestra do Prof. Walter Moser, da Universidade de Montréal.

Livros Publicados: AGUIAR, Flávio & VASCONCELOS, Sandra G. T. (orgs.) - Ángel Rama - Literatura e Cultura na América Latina. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2001.

Participação em eventos:

Prof. Flávio Aguiar: Orientador Teórico do Projeto de Formação de Público da Divisão de Teatros da Secretaria Municipal da Cultura.

Profª. Maria Sílvia Betti: Co-orientação teórica do Projeto de Formação de Público da Divisão de Teatros da Secretaria Municipal da Cultura.

Viagens realizadas:

Prof. Flávio Aguiar: Costa do Marfim, para ministrar curso sobre Literatura Brasileira na Universidade Cocody ( de 10 de junho a 01 de julho).

Ida ao Rio Grande do Sul, IEL, para palestra sobre A Ficção de Luís Antonio de Assis Brasil (09 de julho).

Curso no Itaú Cultural sobre Literatura, cinema e televisão, dias 22 e 29 de agosto.

Comparecimento de vários pesquisadores do Centro, entre eles Flávio Wolf de Aguiar, Ligia Chiappini Moraes Leite, Sandra G. Vasconcelos e Walnice Nogueira Galvão, ao II Seminário Internacional Guimarães Rosa, na PUC-Minas para apresentação de trabalho (27 e 28 de agosto).

Profª. Sandra Vasconcelos: X Congresso FIEALC (Federação Internacional Estudos de América Latina e Caribe) - Moscou, 22 de junho a 9 de julho.

NÚCLEO DE ESTUDO DE TEATRO DÉCIO DE ALMEIDA PRADO (CENTRO ÁNGEL RAMA)

No primeiro semestre de 2001 o Núcleo de Estudos de Teatro deu continuidade ao projeto de estudo desencadeado pelo curso de Difusão Cultural oferecido no segundo semestre de 2000, intitulado Texto e Cena: uma introdução à análise do texto teatral. Procurando enfocar o estudo de textos teatrais encenados, que pudessem ser lidos e assistidos pelos participantes, foi escolhido o texto Os órfãos de Jânio, de Millor Fernandes, escrito em 1978, e que se encontrava em cartaz no Teatro Aliança Francesa com peção de Eduardo Tolentino de Araújo.

O estudo desse texto envolveu desdobramentos e debates que se estenderam até o final das atividades do semestre, no início de julho passado. Durante esse processo foram discutidos os seguintes textos:

Os filhos de Kenned", de Robert Patrick (peça teatral)

Sofística da Assimilação, de Paulo Arantes (ensaio)

Notas sobre cultura e política de 1964 a 1969.

Dentro do programa de atividades desenvolvidas, foi organizada também uma palestra a cargo do Prof. Marcos Bulhões, professor da Universidade Federal de Natal e doutorando da área de Teatro e Educação da ECA/USP, que abordou o tema da utilização de texto e jogo como formas de construção de uma dramaturgia da cena.

A coordenadora do Núcleo, Profa. Dra. Maria Sílvia Betti, organizou, no decorrer do semestre, a série de palestras intituladas Conversas sobre Teatro, em conjunto com a Profa. Dra. Munira Mutran. A série, que deverá ter continuidade no segundo semestre, contou com duas palestras, sendo a primeira sobre a peça teatral Hamletmachine, de Heiner Müller, a cargo da Profa. Dra. Ruth Röhl, e a segunda sobre a peça O retorno ao deserto, de Bernhard-Marie Koltès, a cargo de Luís Cláudio Machado, doutorando da área de Francês.

A coordenadora participou, ainda, de um Encontro Nacional do GT de Dramaturgia e Teatro da ANPOLL em Curitiba, no início de julho, e do Encontro Nacional de Tradutores, organizado pela ABRAPT em Belo Horizonte, na UFMG, no final do referido mês.

LIVROS PUBLICADOS

AGUIAR, Flávio (Org.). Antonio Candido, pensamento e militância. 1999.

CHIAPPINI, Lígia; ZILLY, Berthold (Orgs.). Brasilien, land der vergangenheit? 2000.

CHIAPPINI, Lígia; DIMAS, Antonio; ZILLY, Berthold (Orgs.). Brasil, país do passado? 2000. 

DECCA, Edgar Salvadori de; LEMAIRE, Ria (orgs.). Pelas Margens. Outros caminhos da História e da Literatura. 2000.

PESAVENTO, Sandra Jatahi (Org.). Leituras cruzadas: diálogos da História com a Literatura. 2000.

AGUIAR, Flávio; CHIAPPINI, Lígia (Orgs.). Civilização e exclusão: Érico Veríssimo, Euclides da Cunha, Claude Lévi-Strauss, Darcy Ribeiro. 2001.

AGUIAR, F.; VASCONCELOS, S.G.T. Ángel Rama - Literatura e Cultura na América Latina. 2001. 

PESAVENTO, Sandra Jatahi; LEENHARDT, Jacques; CHIAPPINI, Ligia; Aguiar, Flávio. Érico Veríssimo: o romance da história. 2001.

CADERNOS COMARCA. Imagens da Europa na literatura brasileira. Centro Ángel Rama. 2002.

 

2005

Simpósio Internacional sobre Fronteiras culturais e outras fronteiras, em parceria com o Centro de Literatura e Psicanálise Cyro Martins e a cátedra de Literatura e Cultura Brasileiras da Universidade Livre de Berlim, com a participação ativa de estudantes e docentes dessa Universidade e da Universidade de Bremen, no âmbito de uma excursão de pesquisa coordenada por Ligia Chiappini.

 

2008

ATIVIDADES REALIZADAS PELO CENTRO ÁNGEL RAMA NO SEGUNDO SEMESTRE DE 2008

 

PALESTRA: La escritura hoy en la novela y la escritura hoy para el teatro, por Reinaldo Montero – dramaturgo, autor de As afinidades (romance) e Liz (peça teatral) – e Sahily Moreda, atriz. Dia 11 de agosto de 2008, segunda-feira, às 14h, na sala 264 do Prédio de Letras.

PALESTRA ILUSTRADA: Bread & Puppet: teatro político através de teatro de bonecos gigantes ao ar livre. Um contexto anticapitalista de vida e de criação artística em debate. Dia 27/8, das 11h30 às 13h, na sala 261 do Prédio de Letras. Palestrante: Mayumi Denise Senoi Hari, autora da tese Teatro político e contestação no mundo globalizado: o Bread & Puppet Theater na sociedade de consumo.

CINECLUBE ÁNGEL RAMA: Início das exibições e dos debates em 29 de agosto de 2008, sexta-feira, às 16h30, na sala 260 do Prédio de Letras, com Noites de Cabíria, de Federico Fellini. Após a exibição, debate sobre o filme com o Prof. Dr. Marcos Soares (DLM) e a Profa. Dra. Ivone Daré Rabello (DTTLC).

DRAMATURGIA EM DEBATE: Os Azeredos mais os Benevides, de Oduvaldo Vianna Filho (Vianinha). Continuação da série de discussões abertas sobre a obra dramatúrgica de Vianinha. Dia 5/9, sexta-feira, das 14h às 16h30, na sala 39 do Prédio de Letras. Cópia do texto pode ser encontrada na pasta 367.

CINECLUBE ÁNGEL RAMA: Exibição de Roma, cidade aberta, de Roberto Rosselini, na Série de Debates Sobre Cinema e Cultura do Centro Ángel Rama. A exibição, gratuita, será na próxima sexta-feira, 5/9, às 16h30, na sala 261 do Prédio de Letras.seguida de debate com o Prof. Marcos Soares (DLM) e a Profa. Dra. Ivone Daré Rabello (DTTLC).

APRESENTAÇÃO E DEBATE do Espetáculo Consumindo 68, teatro documentário baseado na pesquisa de mestrado em Teatro-Educação de Marcelo Soler. Dia 18/9, às 19h30, na sala 122 do Prédio de Filosofia e Ciências Sociais. Parte do texto poderá ser encontrada na pasta 360 do xerox de Letras, para leitura dos interessados.

CINECLUBE ÁNGEL RAMA: Exibição de Os Deuses Malditos, de Luchino Visconti, na Série de Debates Sobre Cinema e Cultura do Centro Ángel Rama. A exibição, gratuita, será na próxima sexta-feira, 19/9, às 16 horas, na sala 261 do Prédio de Letras da FFLCH/USP, seguida de debate com os professores Marcos Soares (DLM) e Ivone Daré Rabello (DTLLC).

CURSO DE DIFUSÃO: A história norte-americana através do cinema, de 21 horas, a partir de 20/9 até 02/11, aos sábados, das 9h30 às 12h30, em sala a ser definida. Organizador: Prof. Dr. Marcos César de Paula Soares (professor do DLM da FFLCH/USP).

CURSO DE DIFUSÃO: A crítica brasileira: os estudos de Antonio Cândido e Roberto Schwarz. Uma leitura de cinco ensaios fundamentais, de 15 horas, a partir de 20/9 até 18/10, aos sábados, das 9h30 às 12h30, em sala a ser definida. Ministrante: Profa. Dra. Ivone Daré Rabello (professora aposentada do DTLLC da FFLCH/USP).

DRAMATURGIA EM DEBATE: Show Opinião. Continuação da série de discussões abertas sobre a obra dramatúrgica de Vianinha. Dia 26/9, sexta-feira, das 14h às 16h30, na sala 39 do Prédio de Letras. Cópia do texto pode ser encontrada na pasta 367 do xerox de Letras.

CURSO DE DIFUSÃO: Prática de Ensino de Literatura: diálogos entre literatura e crítica, de 12 horas, a partir de 26/9 até 17/10, às sextas-feiras, das 14 h às 17h15, na sala 134 do Prédio de Letras. Ministrante: Profa. Ms. Adriana Junqueira Arantes (professora do ISEAB e dos cursos de Español en el campus).

CINECLUBE ÁNGEL RAMA: Exibição de Violência e Paixão, de Luchino Visconti, na Série de Debates Sobre Cinema e Cultura do Centro Ángel Rama. A exibição, gratuita, será em 10/10, sexta-feira, às 16 horas, na sala 261 do Prédio de Letras da FFLCH/USP, seguida de um debate com os professores Marcos Soares (DLM) e Ivone Daré Rabello (DTLLC).

CURSO DE DIFUSÃO: Prática de Ensino de Literatura: a presença/ausência do dinheiro na literatura (Novo Programa), de 21 horas, a partir de 21/10 até 2/12, às terças-feiras, das 9h às 12h, na Sala Reginaldo Xavier Carneiro Pessoa, do Prédio de História e Geografia. Ministrante: Prof. Ms. Agenor Bevilacqua Sobrinho (professor da UNI-ABC).

LEITURA DRAMÁTICA E DEBATE ABERTO de Mão na Luva (1966), de Oduvaldo Vianna Filho, com Marcelo Pacífico e Isabela Lemos, e supervisão e direção de Brian Penido Ross, Eduardo Tolentino de Araújo e Guilherme Santana, do Grupo TAPA. Em 22/10, quarta-feira, às 19h30, na sala 113 do Prédio de Filosofia e C. Sociais. O texto se encontra na Pasta 367 do prédio de Letras.

CINECLUBE ÁNGEL RAMA: Exibição de Boulevard do Crime (Les enfants du paradis), de Marcel Carné, na Série de Debates Sobre Cinema e Cultura do Centro Ángel Rama. A exibição, gratuita, será em 31/10, sexta-feira, às 16 horas, na sala 260 do Prédio de Letras da FFLCH/USP, seguida de um debate com os professores Marcos Soares (DLM) e Ivone Daré Rabello (DTLLC).


 

ATIVIDADES REALIZADAS PELO CENTRO ÁNGEL RAMA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2009

 

DRAMATURGIA EM DEBATE: dia 3/4, 14h, retomada das reuniões de estudo da dramaturgia de Oduvaldo Vianna Filho pelo Núcleo de Estudos de Teatro Décio de Almeida Prado.

PALESTRAS E DEBATE: Movimentos de Resistência Popular. Com: Ademar Ludwig, dirigente nacional do MST, e Pietro Alarcón, representante no Brasil do Comitê pela Defesa dos Direitos Humanos da Colômbia e professor da Faculdade de Direito da PUC-SP. Dia 23/4, quinta-feira, às 17h, no Anfiteatro de Geografia.

DRAMATURGIA EM DEBATE: Discussão do texto e da encenação de Mão na Luva, peça teatral escrita em 1966 por Oduvaldo Vianna Filho. Dia 8 de maio, sexta-feira, 14h, sala 39 do Prédio de Letras (segundo andar, fim do corredor). O texto da peça se encontra na pasta 20 da copiadora do prédio de Letras, para cópia e leitura dos interessados.

DEBATE: Movimento Sindical e Universidade. Com: Claudionor Brandão, funcionário demitido, diretor do SINTUSP e representante dos funcionários no Conselho Universitário, Luiz Renato Martins, professor do Departamento de Artes Plásticas da ECA/USP e Leonel Itaussu, professor do Departamento de Ciência Política da FFLCH. Dia 14/5, quinta-feira, às 17h, no Anfiteatro de História da FFLCH/USP.

CINECLUBE ÁNGEL RAMA: Exibição do filme Pão e Rosas, de Ken Loach, e debate com Diana Assunção, organizadora do livroLutadoras, histórias de mulheres que fizeram história, Editora Iskra, e com Cristiane Toledo Maria, mestranda do Programa de Pós-graduação em Estudos Lingüísticos e Literários em Inglês do DLM/FFLCH. Dia 21/5, às 17h, sala 102 do Prédio de Letras.

Ken Loach mostra luta de classes em Pão e Rosas

Trabalhadores explorados, endividamentos, lutas e patrões capitalistas - com outro manifesto nas telas, o diretor britânico Ken Loach descreveu as massas pobres e oprimidas e sua lutas para sobreviver em um mundo cruel de "laissez-faire" em Bread and Roses (Pão e Rosas).

O filme passa-se em Los Angeles, onde imigrantes mexicanos ilegais trabalham como faxineiros do turno da noite em um edifício de escritórios, por salários humilhantes. Eles não têm assistência médica, nenhuma proteção trabalhista e ainda suportam um patrão abusivo.

Bread and Roses não deve deixar um único par de olhos secos na platéia, ao mostrar a luta pela criação de um sindicato, pelo trabalho, e alguns dos imigrantes voltando-se para o roubo e prostituição para pagar o aluguel e alimentar os filhos.

No meio disso tudo há Maya, uma jovem de Tijuana que, com um ativista americano apaixonado - Sam - corajosamente lidera uma campanha guerrilheira contra corporações, ameaçando as famílias e vidas dos empregadores, e correndo o risco de uma extradição.(Reuters).

PALESTRA E DEBATE: Capitalismo do século XXI: crise e barbárie. Palestra do Prof. Dr. Plínio de Arruda Sampaio Jr., economista e professor do Instituto de Economia da UNICAMP. Dia 22/5, sexta-feira, às 14h, no Anfiteatro de Geografia da USP. O texto Capitalismo do século XXI: crise e barbárie pode ser encontrado, para cópia, na pasta 84 da Copiadora do prédio de Letras.

DEBATE: Arte e ideologia nas visões do conflito no Oriente Médio, com Massoud Bakhshi, Rawan Damen e Montaser Marai. Mediação de Arlene Clemesha, professora do Departamento de Letras Orientais. Dia 2/6, às 14h, no Anfiteatro de Geografia da FFLCH/USP.

CINECLUBE ÁNGEL RAMA: Exibição de Che, primeira parte, direção de Steven Soderbergh. Comentadores, dia e local serão divulgados em breve. (A atividade não foi realizada em razão da greve).

CINECLUBE ÁNGEL RAMA: Exibição de Che, segunda parte, direção de Steven Soderbergh. Comentadores, dia e local serão divulgados em breve. (A atividade não foi realizada em razão da greve).

 

 

ATIVIDADES REALIZADAS PELO CAR, OU COM SUA PARTICIPAÇÃO, NO SEGUNDO SEMESTRE DE 2009

 

CURSO DE DIFUSÃO: Mulheres de Erico Verissimo e Gabriel García Márquez, a ser ministrado por Anita de Moraes e Joana de Fátima Rodrigues, doutorandas do DLCV/FFLCH. Curso gratuito, aos sábados, das 10h às 11h30, com início em 05/09 e término em 31/10, na sala 102 do Prédio de Letras. Público-alvo: prioritariamente professores da rede pública.

Objetivo: Proporcionar uma leitura dos textos de Erico Verissimo e Gabriel García Márquez a partir da análise comparada de personagens femininas da primeira parte de O tempo e o vento, O continente e Cem anos de solidão.

Justificativa: A consagrada obra romanesca dos escritores Erico Verissimo e Gabriel García Márquez obteve significativo destaque na literatura latino-americana do século XX. Ambos dedicaram-se à construção de personagens femininas singulares, cujas ações - determinantes nos textos narrativos - destacam-se pela força e coragem. A perspectiva comparada será um exercício de reflexão para compreender melhor as proximidades entre o escritor brasileiro e o colombiano (a temática da saga familiar, por exemplo) e também as questões de influência e recepção da obra literária. O recorte para tal exercício será a abordagem crítica das personagens Ana Terra, Bibiana Terra (O continente) e Úrsula Buendía (Cem anos de solidão), matriarcas e fundadoras das famílias Terra-Cambará e Buendía, respectivamente. Cabe ressaltar a forma pela qual as mencionadas protagonistas, a partir de um contexto histórico-social opressor e dominado pelo elemento masculino, conseguiram estabelecer seus domínios para a continuidade e permanência da família. Santa Fé e Macondo são os cenários para o desenvolvimento de romances nos quais a figura feminina é crucial por seu caráter de resistência e sagacidade.

Metodologia: A sequência das aulas terá início com uma breve introdução à literatura comparada (intertextualidade, influência e recepção, leitor, obra e público) e posteriormente serão lidos trechos de O continente e Cem anos de solidão, com exposições e debates sobre o tema do curso: a trajetória ímpar das personagens femininas nas obras de Verissimo e García Márquez, suas semelhanças e diferenças, congruências e distanciamentos, o realismo fantástico de García Márquez e a relação intrínseca entre literatura-história em O tempo e o vento de Erico Verissimo.

 

CURSO DE DIFUSÃO: O cronista Gabriel García Márquez , a ser ministrado por Joana de Fátima Rodrigues, doutoranda do Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da FFLCH. Curso gratuito, aos sábados, das 12h às 13h30, com início em 05/09 e término em 24/10, na sala 102 do Prédio de Letras. Público-alvo: prioritariamente professores da rede pública.

Objetivo: Proporcionar a leitura das crônicas de Gabriel García Márquez a partir de textos do autor colombiano reunidos em Obra Jornalística 5 1961 – 1984 (Record, tradução de Léo Schlafman), de um ponto de vista que permita reconhecer o cruzamento das marcas literárias e jornalísticas nessas produções.

Justificativa: Dentro da obra de Gabriel García Márquez, a prática jornalística teve expressiva importância em seu processo de consolidação da escrita literária. Concomitante à sua trajetória de romancista, o autor colombiano atuou como repórter especial, crítico de cinema e cronista em diversos jornais colombianos. Faceta que trouxe inúmeras colaborações à sua produção literária.

São para as crônicas, textos mais curtos, de temas variados, publicadas semanalmente em um periódico colombiano e reproduzido a outros títulos internacionais, o foco deste curso.

A leitura analítica de tais textos propõe um exercício de reconhecimento da requintada carpintaria da escrita de García Márquez, marca ímpar de sua atuação como literato. O envolvimento e a participação de García Márquez, um intelectual de seu tempo, utilizando a expressão de Edward Said, em questões de ordem política e de Direitos Humanos é um dos outros aspectos a se destacar neste recorte. Daí a necessidade de que tais leituras tragam igualmente informações do contexto sócio-político em que essas crônicas foram produzidas, assim como sobre os temas abordados. Ao provocar o imbricamento da Literatura com o Jornalismo, García Márquez não desprezou temas corriqueiros. Assim, o rés-ao-chão, a conversa e a reflexão sobre o miúdo, nas palavras de Antonio Candido, igualmente estão presentes nessas crônicas.

Metodologia: Para a introdução dos exercícios de leitura de um pequeno conjunto de crônicas (de 5 a 8 textos), será apresentada uma breve introdução à Literatura e ao Jornalismo (questões do compromisso com a realidade X ficção; objetividade e subjetividade; leitor, obra e público). Na sequência, a exibição de uma entrevista (em DVD) com García Márquez, em que ele enfatiza a importância do jornalismo em sua trajetória literária e vice-versa. Posteriormente, uma breve exposição sobre a trajetória de vida do escritor e, depois, a leitura na íntegra das crônicas, que serão disponibilizadas para os alunos previamente (em fotocópias ou digitalizadas).

 

JORNADAS LATINO-AMERICANAS: ÁNGEL RAMA, UM TRANSCULTURADOR DO FUTURO.  Em novembro, o Centro Brasileiro de Estudos de América Latina, da Fundação Memorial da América Latina, a Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da USP, a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, o Consulado do Uruguai em São Paulo e o Centro Ángel Rama promoveramm as Jornadas Latino-americanas Ángel Rama, um transculturador do Futuro, constituídas de mesas-redondas e curso de extensão totalmente gratuitos.

Participantes: Juan Fló (Uruguai), Amparo Rama (Uruguai), Flávio de Aguiar (FFLCH/Berlim), Ligia Chiappini (FFLCH/Universidade Livre de Berlim), Pablo Rocca (Universidad de La República, Uruguai), Rebeca Errázuriz (Universidad de Chile), Wander Mello (UFMG), Haydée Ribeiro (UFMG), Roseli Barros (FFLCH/USP) e Joana Rodrigues (FFLCH/USP).

As mesas-redondas se realizaram nos dias 13 e 27 de novembro, sextas, no período da tarde, no auditório do Anexo dos Congressistas, no Memorial da América Latina. O curso foi ministrado por docentes brasileiros e estrangeiros, em 4 aulas com 2 horas de duração, entre 7 e 28 de novembro de 2009, aos sábados, no período da manhã, na Sala dos Espelhos do Auditório Simón Bolívar. Com isso, o público inscrito teve a oportunidade de complementar e aprofundar seus conhecimentos sobre o universo literário em que estão inseridas as figuras-chave do evento, Antonio Candido de Mello e Sousa e Ángel Rama.

Considerado um dos intelectuais mais representativos da América Hispânica, Ángel Rama (Montevidéu 1926-Madrid 1983) teve uma atuação multifacetada no cenário cultural latino-americano. Circulando entre o mundo acadêmico de universidades das Américas Latina e Central, dos EUA e da Europa como docente, ensaísta e jornalista, atuou como colaborador nas páginas de vários periódicos latino-americanos, em particular como crítico literário no semanário uruguaio Marcha, publicação voltada à literatura, de fundamental importância para a produção cultural de língua espanhola, que circulou de 1939 a 1974 em Montevidéu e Buenos Aires e contou em sua equipe de colaboradores com escritores como Juan Carlos Onetti, Mario Benedetti, Eduardo Galeano, Jorge Rufinelli, Carlos Maggi, Emir Rodriguez Monegal, entre outros intelectuais.

E foi justamente como crítico literário que Rama teve um papel de importância ímpar para a literatura brasileira. Ele foi um dos pioneiros que, ao conhecê-la, tratou de divulgá-la e analisá-la dentro de uma visão latino-americana. Isso ocorreu com maior intensidade a partir do seu encontro com o professor Antonio Candido, nos idos de 1960, quando Candido levou à Universidad de La República um curso de verão focado em alguns autores brasileiros.

Autor de uma obra fundamental para a compreensão da América Latina, como um espaço de produção cultural com suas marcas próprias e transculturadas, Rama deixou sobretudo um legado que teve na literatura seu foco principal, pois entendeu que a literatura é um conjunto de processos ligados a aspectos sociais, políticos, ideológicos e estéticos. Dono de uma visão crítica, o uruguaio foi o idealizador da coleção Biblioteca Ayacucho. Entre seus livros, destacam-se: Rubén Darío e o modernismo (1970), Las máscaras democráticas del modernismo (1973), Transculturación narrativa en América Latina (1982), La generación crítica (1972) e A Cidade Letrada (1984).

A estreita afinidade intelectual entre Rama e Candido, registrada em uma convivência assídua e em uma correspondência caudalosa, justifica o convite especial e, portanto, a presença de Antonio Candido neste evento aqui proposto. Razões idênticas estendem-se à Amparo Rama, filha de Ángel, mantenedora de um arquivo pessoal do escritor uruguaio. E aos demais professores estrangeiros, como o uruguaio Pablo Rocca, a chilena Rebecca Errázuriz, assim como os brasileiros Flavio Wolf de Aguiar, idealizador do Centro Ángel Rama (CAR), que funciona na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, e Lygia Chiapini, a primeira diretora do CAR e uma das estudiosas de Rama que vivem fora do País.

PROGRAMAÇÃO:

* Curso:

dia 7/11 - O conceito de América Latina e a literatura. Docente Flávio Wolf de Aguiar

dia 14/11 - Antonio Candido, Ángel Rama e a crítica literária. Docente Ligia Chiappini

dia 21/11 - Pícaros e malandros na literatura latino-americana. Docente Mário Gonzalez

dia 28/11 - Convergências de Candido e Rama. Docente Rebecca Errázuriz

* Encontros:

Dia 13/11, das 14 às 18 horas

- Abertura

- Ato em homenagem a Antonio Candido

- Tema principal: Perfis intelectuais de Antonio Candido e Ángel Rama

Palestrantes: Juan Fló (Uruguai), Amparo Rama (Uruguai), Flávio de Aguiar (FFLCH/Berlim), Ligia Chiappini (FFLCH/Universidade Livre de Berlim), Pablo Rocca (Universidad de La República, Uruguai)

- Apresentação da Enciclopédia Latino-Americana em espanhol, pela Editora Boitempo.

Dia 27/11, das 14 às 18 horas

- Tema principal: Antonio Candido e Ángel Rama, intelectuais do espaço público

Palestrantes: Rebeca Errázuriz (Universidad de Chile), Wander Mello (UFMG), Haydée Ribeiro (UFMG), Roseli Barros (FFLCH/USP), Joana Rodrigues (FFLCH/USP).

 

PALESTRA E DEBATE: O Prof. Plínio de Arruda Sampaio Jr., professor de Economia da UNICAMP, fará palestra sobre sua Introdução à nova edição argentina do livro de Lênin, Imperialismo, estágio superior do capitalismo, seguida de debate. Dia 11 de novembro, às 17 horas, na Sala 108 do Prédio de Filosofia e Ciências Sociais da FFLCH/USP, av. Prof. Luciano Gualberto, 315. Cópia dessa introdução foi deixada na Copiadora do Prédio de Letras, mas também pôde ser solicitada pelo e-mail: carama@usp.br.

 

PALESTRA: Relato e História em Juan Carlos Onetti: o caso de "Jacob y el otro",  proferida por Pablo Rocca em 12/11, quinta-feira, às 14h, na Sala 168 do Prédio de Letras da FFLCH/USP. Pablo Rocca. Doutor em Letras (FFLCH-USP). Professor Titular de Literatura Uruguaia na FHCE, Universidad de la República, Montevidéu. Diretor do Arquivo Literário desta Universidade Federal. Tradutor de Machado de Assis, Lima Barreto, Murilo Rubião, etc. Entre seus livros, estão: 35 años en Marcha, 1991; Horacio Quiroga, el escritor y el mito, 1996 ( 2ª ed.: 2007); Ángel Rama, Emir Rodríguez Monegal y el Brasil, 2006; Revistas culturales del Río de la Plata (2009).

 

 

ATIVIDADES REALIZADAS PELO CENTRO ÁNGEL RAMA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2010

 

LANÇAMENTO DE LIVRO, SEGUIDO DE DEBATE: Capitalismo em crise: a natureza e dinâmica da crise econômica mundial, organizado por Plinio de Arruda Sampaio Jr., com artigos de Eduardo Almeida, Jorge Grespan, Maria Orlanda Pinassi, Plinio de Arruda Sampaio Jr., Ricardo Antunes, Valério Arcary e Virgínia Fontes. Dia 6 de abril, terça-feira, às 17h, na Sala 8 do Prédio de Filosofia e Ciências Sociais da FFLCH/USP.

 

SÉRIE DE ENCONTROS SOBRE TEATRO NORTE-AMERICANO: Teatro Norte-americano: dramaturgia, grupos e concepções cênicas - Mapeamento histórico-crítico [1920-1940]. Quatro encontros quinzenais, às sextas-feiras, a partir de 9 de abril, das 14h às 17h, na Sala 39, 2º. andar do Prédio de Letras.

Programa:

1. A década de 20: a ascensão da Broadway, os minstrel shows. A dramaturgia de Elmer Rice. O experimentalismo dos “teatrinhos”: os Provincetown Players. Eugene O’Neill e as peças do ciclo do mar.

Data: 09 de abril

2. O entre-guerras: o Theater Guild e o Group Theater. A ascensão de Eugene O’Neill. A dramaturgia de Clifford Odets e de Maxwell Anderson.

Data: 23 de abril

3. Parte I: O Federal Theater Project. Parte II: Bertolt Brecht nos Estados Unidos

Data: 07 de maio

4. Uma pequena cronologia dos anos 30 a 40. O Actors’ Studio. A nova dramaturgia em ascensão. Margo Jones e o surgimento do palco em Arena. Renovação e transformação formal na dramaturgia: Tennessee Williams e Arthur Miller.

Data: 21 de maio

Docente ministrante: Maria Sílvia Betti (FFLCH/DLM)

Bibliografia Básica (Obras de referência em ordem alfabética de sobrenome dos autores):

CAMARGO COSTA, Iná. Panorama do Rio Vermelho. Ensaios sobre teatro norte-americano moderno. São Paulo: Nankin Editorial, 2000.

CAMARGO COSTA, Iná. Stanislavski na cena americana. In: ESTUDOS AVANÇADOS, v. 16, n. 46, 2002.

BENTLEY, Eric. Experiência viva do teatro. Tradução Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

______________. O teatro engajado. Tradução de Yan Michalski. Rio de Janeiro: Zahar, 1969.

BRUSTEIN, Robert Sanford. O teatro de protesto. Tradução de Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

GASSNER, John. Rumos do teatro moderno. Tradução Luzia Machado da Costa. Rio de Janeiro: Ed. Lidador, 1965.

GASSNER, John. 1903-1967 Mestres do teatro. Tradução de Alberto Guzik e J. Guinsburg. 3. ed. Ampliada. São Paulo: Perspectiva, 1974.

GOTTFRIED, Martin. Teatro dividido: a cena americana no pós-guerra. Tradução de Egle Malheiros. Rio de Janeiro: Edições Bloch, 1970.

HENDERSON, Mary C. Theater in America: 200 years of plays, players and productions. Foreword by Joseph Papp. New York: Harry N. Abrams, 1986.

ESSLIN, Martin. O teatro do absurdo. Tradução de Bárbara Heliodora. Apresentação de Paulo Francis. Rio de Janeiro: Zahar Ed., 1968

PEACOCK, Ronald. Formas da Literatura Dramática. Tradução Bárbara Heliodora. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1968.

YOUNG, Stark. O teatro. Tradução de Bárbara Heliodora. Rio de Janeiro: Editora Letras e Artes, 1963.

WILLET, John. O teatro de Brecht: visto de oito aspectos.Tradução de Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

STANISLAVSKI, Constantin. A Construção da Personagem. Introdução de Joshua Logan. Tradução de Pontes de Paula Lima. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1992.

_______________________. Creating a Role. Translated by Elizabeth Reynolds Hapgood. London: Methuen, 1987.

Público-alvo: graduandos, pós-graduandos, comunidade USP e interessados em tomar contato introdutório com o estudo e a pesquisa sobre o teatro e a dramaturgia norte-americana moderna.

Vagas: dez (motivo: reduzido espaço físico).

Inscrições pelo e-mail carama@usp.br, aos cuidados de Marlene.

 

SÉRIE DE ENCONTROS SOBRE TEATRO BRASILEIRO: Teatro Brasileiro: dramaturgia, grupos e concepções cênicas - Mapeamento histórico-crítico [1950-1970]. Dez encontros, às terças-feiras, a partir de 13 de abril, das 10h30 às 12h, na Sala 39, 2º andar do Prédio de Letras.

Programa:

1. O Teatro de Arena de São Paulo (1953-1960)

13 de abril

20 de abril

2. O teatro de rua do CPC da UNE (1961-1963)

27 de abril

04 de maio

3. Grupo Opinião do Rio de Janeiro e Teatro de Arena de São Paulo (1964-1968)

11 de maio

18 de maio

4. O Teatro Oficina de São Paulo (1961-1970)

25 de maio

01 de junho

5. O Teatro do Oprimido de Augusto Boal: breve introdução

08 de junho

15 de junho

Docente ministrante: Maria Sílvia Betti (FFLCH/DLM)

Bibliografia Básica (Obras de referência em ordem alfabética de sobrenome dos autores):

ARRABAL, José. Anos 70: momentos decisivos da arrancada. In: ______ Anos 70/ Teatro. Rio de Janeiro: Europa Empr. Gráf. 1979-80, p. 7-40.

CAMPOS, Cláudia de Arruda. Zumbi, Tiradentes e outras histórias contadas pelo Teatro de Arena de São Paulo. São Paulo: Perspectiva, 1988.

COSTA, Iná Camargo. A Hora do Teatro Épico no Brasil. São Paulo: Graal, 1996.

DOMONT, Beatriz. Um Sonho Interrompido. O Centro Popular de Cultura da UNE (1961-1964). São Paulo: Porto Calendário, 1997.

FERNANDES, Sílvia. Grupos Teatrais Anos 70. São Paulo: Perspectiva, 2000.

GARCIA, Silvana. Teatro da militância: a intenção do popular no engajamento político. São Paulo: Perspectiva- Editora da Universidade de São Paulo, 1990.

MICHALSKI, Yan. O teatro sob pressão - uma frente de resistência. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

PRADO, Décio de Almeida. Exercício Findo. Crítica teatral (1964/1968). São Paulo: Perspectiva,1987.

_______________________. O teatro brasileiro moderno. São Paulo: Perspectiva, 1988.

PEIXOTO, Fernando. O melhor teatro do CPC da UNE. São Paulo: Global, 1989.

SILVA, Armando Sérgio da. Oficina: do teatro ao te-ato. São Paulo: Perspectiva, 1981.

Público-alvo: graduandos, pós-graduandos, comunidade USP e interessados em tomar contato introdutório com o estudo e a pesquisa sobre o teatro e a dramaturgia brasileira moderna.

Vagas: dez (motivo: reduzido espaço físico).

Inscrições pelo e-mail carama@usp.br, aos cuidados de Marlene.

 

PALESTRA, SEGUIDA DE DEBATE: A temática do Trabalho na dramaturgia brasileira contemporânea, por Walmir Pavam. Atividade promovida pelo Núcleo de Estudos Teatrais Décio de Almeida Prado, do Centro Ángel Rama. Dia 14 de abril, às 14h30, na sala 109 do Prédio de Letras.

A partir de duas cenas do texto A Comédia do Trabalho, da Companhia do Latão, serão discutidos com o público alguns dos recursos dramatúrgicos utilizados pelo grupo para abordar a temática do trabalho. Em seguida, o pesquisador Walmir Pavam comentará o percurso de desenvolvimento de sua dissertação de mestrado desenvolvida no Instituto de Artes Cênicas da UNESP de São Paulo, A dramaturgia do trabalho no teatro paulistano contemporâneo.

Walmir Pavam é ator, dramaturgo, teatro-educador e mestre em Artes Cênicas pela UNESP.

 

LANÇAMENTO DE LIVRO, SEGUIDO DE DEBATE: As Grandes Depressões: 1873-1896/1929-1939, de Osvaldo Coggiola. Dia 26 de abril, segunda-feira, às 17h, na Sala 8 do Prédio de Filosofia e Ciências Sociais da FFLCH/USP.

 

 

ATIVIDADES REALIZADAS PELO CENTRO ÁNGEL RAMA NO SEGUNDO SEMESTRE DE 2010

 

EXIBIÇÃO do filme A viagem do Capitão Tornado, dirigido por Ettore Scola (1990), seguida de conversa com os presentes e breves comentários críticos a cargo da Profa. Dra. Maria Helena Garcez (docente titular do DLCV). Atividade promovida pelo Núcleo de Estudos Teatrais Décio de Almeida Prado, do Centro Ángel Rama. Dia 14 de setembro, às 10h30, na sala 39 do Prédio de Letras, segundo andar, fim do corredor.

 

SÉRIE DE ENCONTROS SOBRE TEATRO BRASILEIRO (CONTINUAÇÃO): Teatro brasileiro: dramaturgia, grupos e concepções cênicas - Mapeamento histórico-crítico [1970-1980]. Dez encontros, às quartas-feiras, a partir de 15 de setembro, das 14h30 às 16h, na Sala 39, 2º. andar do Prédio de Letras, última sala no fim do corredor.

Docente ministrante: Profa. Dra. Maria Sílvia Betti.

Programa:

Setembro

Dia 15: Panorama do teatro popular da periferia de São Paulo na década de 1970. Uma experiência de teatro popular no Rio de Janeiro (Maria Helena Kühner).

Dia 22: Teatro União e Olho Vivo (César Vieira): ”Bumba meu Queixada”.

Dia 29: Grupo Forja (Tin Urbinatti): “Pensão Liberdade”.

Outubro

Dia 6: João das Neves: dramaturgo e pensador do teatro.

Dia 13: Jorge de Andrade: “As Confrarias”.

Dia 20: Augusto Boal: a batalha contra a censura, a guerrilha teatral, o exílio e a expansão internacional do Teatro do Oprimido.

Dia 27: Fernando Peixoto: ator, encenador e crítico.

Novembro

Dia 3: Lauro César Muniz e Carlos Queiroz Teles: perspectivas e impasses políticos e formais da dramaturgia.

Dia 17: Dramaturgia feminina: três percursos - Consuelo de Castro, Leilah Assunção e Maria Adelaide Amaral.

Dia 24: Vianinha: “Corpo a Corpo” e as últimas entrevistas.

Dezembro

Dia 1: Dias Gomes: linhas gerais da dramaturgia e teledramaturgia na década de 1970.

Dia 8: Lélia Abramo: atriz e lutadora.

Público-alvo: graduandos; pós-graduandos; funcionários; interessados em geral.

No dia 10 de novembro não haverá atividades em virtude da realização do Congresso da Associação Brasileira de Artes Cênicas (ABRACE).

Local: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, Prédio de Letras, Sala 39, 2º. andar, última sala no fim do corredor.

Endereço: Av. Prof. Luciano Gualberto, 403, Cidade Universitária.

Inscrições pelo e-mail: carama@usp.br

Informações pelo telefone 3091-4879 (Centro Ángel Rama), com Marlene.

Bibliografia em ordem alfabética:

ABRAMO, Lélia. Vida e Arte. Memórias de Lélia Abramo. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 1997. p. 165-254.

Ciclo de Debates do Teatro Casa Grande. Teatro (14 de abril de 1975.) Rio de Janeiro: Inúbia, 1976. p. 39-70.

AMARAL, Maria Adelaide. A Resistência. Rio de Janeiro: Serviço Nacional de Teatro, 1978.

ASSUNÇÃO, Leilah. Vejo um vulto na janela, me acudam que eu sou donzela. In: Revista da Sociedade Brasileira de Autores Teatrais, abril/maio/junho, 1981.

CASTRO, Consuelo de. Urgência e Ruptura. São Paulo: Perspectiva,1989.

GARCIA, Silvana. O Teatro Popular de Periferia dos anos 70. In: Teatro da Militância. A intenção do popular no engajamento político. São Paulo: Perspectiva, 1990. p. 121-208.

GOMES, Dias. Apenas um subversivo. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil,1998. p. 321-287.

GRUPO FORJA. Pensão Liberdade. São Paulo: Hucitec, 1981.

KÜHNER, Maria Helena. Os Fundamentos. In: Teatro Popular: uma experiência. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves Editora, 1975. p. 7-105.

MICHALSKI, Yan. Ciclo de Palestras sobre Teatro Brasileiro. 2. ed. Rio de Janeiro: INACEN, 1986.

MUNIZ, Lauro César. Sinal de Vida. São Paulo: Global Editora, 1979.

NEVES, João das. A Análise do Texto Teatral. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Europa, 1997.

NEVES, João das. Ciclo de Palestras sobre Teatro Brasileiro, 5. Rio de Janeiro: INACEN, 1987.

PEIXOTO, Fernando. Do caderno de notas de Calabar. (1ª. Versão). Os mistérios do milagre. Trabalhadores da ribalta.Tampando o sol com lantejoulas. A crise e o desafio. Teatro em fase de transição ainda não testou a abertura. Por uma cultura crítica e democrática. In: Teatro em movimento. 3. ed. São Paulo: Hucitec, 1989.

PEIXOTO, Fernando. Cultura: do golpe ao apodrecimento do golpe. Teatro e identidade nacional. Perspectivas do teatro brasileiro na década de 80. 1976: o ano do Casa Grande. Mesa-redonda de intelectuais discute a questão cultural. Os espetáculos que realizei. Os espetáculos que não realizei. Teatro brasileiro: um desafio em aberto. In: Teatro em questão. São Paulo: Hucitec, 1989. p. 55-59; 6-73;79-81;87-99; 135-153.

TELES, Carlos Queiroz. Muro de Arrimo. Revista da Sociedade Brasileira de Autores Teatrais, jul./ago. 1976.

VIEIRA, César. 2. Rápido Panorama de uma Realidade. 3. Rei Momo: antecedentes diretos do nosso trabalho. 4. O Grupo União e Olho Vivo e sua dinâmica. In: Em busca de um teatro popular. As experiências do Teatro União e Olho Vivo. Santos: Confenata, 1981. p. 4-57.

VIANNA FILHO, Oduvaldo. Corpo a corpo. Revista da Sociedade brasileira de Autores Teatrais.

VIANNA FILHO, Oduvaldo. Entrevista a Luís Werneck Viana e Os Olhos da tragédia. In: PEIXOTO, Fernando (Org.) Vianinha. Teatro, Televisão, Política. São Paulo: Brasiliense, 1983.

VIEIRA, César. Bumba, meu queixada. Texto da peça e histórico do trabalho coletivo do Teatro União e Olho Vivo. São Paulo: Grafitti, 1980.

Obs. Os textos serão disponibilizados no sistema de informática da Copiadora de Letras (localizada no Prédio de letras, ao lado da lanchonete) para reprodução pelos participantes. A cada semana será colocado no sistema o texto da semana seguinte.

 

CURSO: Introdução ao Materialismo Histórico I: conceitos básicos. Docente ministrante: Prof. Dr. Daniel Puglia (DLM). Dias 15 e 22 de setembro, das 14h30 às 18h30, na sala 210 do Prédio de Letras. Curso aberto a professores da rede pública, alunos e funcionários da USP e público em geral. Objetivo: O curso teve por objetivo geral discutir conceitos iniciais para a compreensão do materialismo histórico como abordagem de interpretação e diagnóstico da realidade. Nesta primeira etapa foram analisados: a herança filosófica, política e econômica presente nos estágios formadores do materialismo histórico (a filosofia alemã, o socialismo utópico francês, a economia política inglesa); o contexto histórico-cultural das origens do materialismo histórico; e alguns conceitos básicos como: força de trabalho, religião, economia e alienação.

Bibliografia: primeiros capítulos do livro Konder, Leandro. Marx, vida e obra. Esse material será deixado para xerox na copiadora do Prédio de Letras.

 

DEBATE: A esquerda e as Eleições de 2010, com representantes das candidaturas dos partidos de esquerda: PSOL, PSTU, PCB e PCO. Já confirmaram presença: Plínio de Arruda Sampaio Júnior (PSOL) e Valério Arcary (PSTU). Dia 15, quarta-feira, às 18h, na sala 24 do Prédio de Filosofia e C. Sociais.

 

OFICINA DE CRIAÇÃO DE HISTÓRIAS PARA CINEMA, com o cineasta e professor Eduardo Mattos. Nove encontros, de 05/10/10 a 01/12/10, às quartas-feiras, das 16h às 19h, no Prédio de Letras, 2º. andar, sala 39. Dez vagas.

Seleção: Os alunos foram selecionados a partir de um texto no qual deveriam expor e comentar o que os motivou a participar da oficina. O texto, de até duas páginas, deveria ser enviado para o seguinte e-mail: carama@usp.br, com o título OFICINA DE HISTÓRIAS.

Público-alvo: graduandos; pós-graduandos; funcionários; professores da rede pública de ensino; comunidade USP e interessados em geral.

Dados biográficos do Professor ministrante: Eduardo Mattos, roteirista e diretor, nasceu em 1965 em Salvador. Bacharel em Letras e em Audiovisual pela Universidade de São Paulo. Dirigiu os curtas em 35mm: Cigano (2008), Suspeito (2009) e Pimenta (2010).

Co-dirigiu com Daniel Ribeiro A Mona da Lotação (2002) e A Outra Filha de Francisco (2005), premiados no Festival Mix Brasil.

Escreveu ainda o roteiro de O Satélite (2007), de Bruno Mancuso, e faz parte da equipe de roteiristas do Teca na TV, do Canal Futura.

Programa

1a. Semana:

Apresentação do Curso.

Exibição de Curta.

Identidade Artística e Conceito de Deslocamento.

Tarefa: Referências e Identidade Artística.

2a. Semana:

Exibição de Curta.

Noção de Personagem, Local e Objeto.

Fichas de Personagem, Local e Objeto.

Tarefa: Criação de Fichas de Personagem, Local e Objeto.

3a. Semana:

Exibição de Curta

Criação de Histórias a Partir das Fichas de Personagem, Local e Objeto.

Noção de Situação, Ação e Tema.

Fichas de Situação, Ação e Tema.

Tarefa: Criação de Fichas de Situação, Ação e Tema.

4a. Semana:

Exibição de Curta

Criação de Histórias a Partir das Fichas de Situação, Ação e Tema.

Histórias de Infância e Histórias de Família: Leitura de Exemplos.

Tarefa: Elaboração de uma História de Infância ou de Família.

5a. Semana:

Exibição de Curta

Leitura das Histórias Escritas pelos Alunos.

Estrutura Dramática.

Avaliação e Sugestões para a Segunda Versão das Histórias.

Tarefa: Segunda Versão da História.

6a. Semana:

Exibição de Curta

Leitura da Segunda Versão das Histórias de Infância ou de Família.

Histórias de Sonho e História a Partir de um Quadro: Leitura de Exemplos.

Tarefa: Elaboração de uma História de Sonho ou a Partir de um Quadro.

7a. Semana:

Exibição de Curta

Leitura das Histórias Escritas pelos Alunos.

Avaliação e Sugestões para a Segunda Versão das Histórias.

Tarefa: Segunda Versão da História.

8a. Semana

Exibição de Curta

Leitura da Segunda Versão das Histórias de Sonho e História a Partir de um Quadro.

Tarefa: Elaboração de Fichas PLOSAT a partir das Histórias escritas pelos Alunos.

9a. Semana:

Formato de Roteiro: Leitura de Exemplo.

Instrumentos para Elaboração de Roteiros a Partir de Histórias.

Avaliação do Curso.

Sobre a Oficina

Objetivos: Desenvolvimento de uma identidade artística tendo como ponto de partida a utilização da experiência de vida de cada participante na criação de histórias baseadas nas marcas observadas em sua relação com o mundo.

Criação de histórias com base no conceito de deslocamento, que consiste na alteração dos nomes, dos lugares, das pessoas e épocas que caracterizaram a experiência original rememorada, a fim de preservar a individualidade do autor e propiciar uma gama maior de alternativas para a história.

Embasamento teórico: A oficina baseou-se na proposta metodológica de Michael Rabiger expressa no livro Developing story ideas (Boston: Focal Press, 2000), e contou com a exibição comentada de curtas no decorrer das aulas.

Metodologia: A oficina consistiu de exercícios individuais e de atividades interativas. Tarefas desenvolvidas individualmente foram analisadas e discutidas em conjunto com os demais membros do grupo. Foram realizados jogos para o desenvolvimento criativo.

Justificativa: O uso da experiência pessoal como fonte para a criação evita que os participantes incorram em lugares comuns e em histórias sem identidade e força dramática. O ponto de partida para a escritura já se encontra dado pela vivência e pela memória de cada autor, com base em experiência pessoal ou familiar, em notícia de jornal, em material mitológico ou literário, e constitui-se num instrumento eficaz no sentido de evitar os clichês e de fornecer um estímulo concreto para a criação.

Obs. Atividade oferecida sem taxa.

 

CURSO: Papiá Kristang, língua crioula de base portuguesa da Malásia. Curso gratuito, de 8 horas. Docente ministrante: Prof. Dr. Eduardo de Almeida Navarro, professor de Tupi do DLCV da FFLCH/USP e vice-diretor do Centro Ángel Rama. Dias 5, 12, 19 e 26 de novembro (sextas-feiras), nos horários das 12 às 14h (turma da tarde) e das 17 às 19h (turma da noite).

Programa do curso:

1) História da Língua Portuguesa na Ásia e a formação das línguas crioulas.

2) Localização dos falantes do Papiá Kristang (Malaca e Cingapura).

3) As estruturas morfossintáticas da língua.

4) A oração e a construção da frase.

5) Textos em Papiá Kristang.

Inscrições pelo e-mail: carama@usp.br

Local: Sala 39 do Prédio de Letras (segundo andar, corredor dos gabinetes dos professores).

 

ENCONTROS DE ESTUDO: Texto teatral em foco: perspectivas de análise aplicada

Dois encontros de estudo

Objetivos: discutir perspectivas de análise do texto dramatúrgico com base na leitura de quatro peças em um ato de dois dramaturgos fundamentais para o estudo do teatro do século XX: Tennessee Williams [1911-1983] e Eugene O’Neill [1888-1953].

02 de dezembro de 2010, 14 horas, Sala 167, Prédio de Letras da FFLCH-USP.

Tennessee Williams: análise dos diálogos e pesquisa interpretativa em duas peças de um ato: A Dama da Loçãozinha (The Lady of Larkspur Lotion, 1941) e O Quarto Escuro (The Dark Room, 1956), traduzidas por Isabella Lemos e Rita Giovanna Gentile. Com a participação especial de Isabella Lemos, atriz do Núcleo de Formação de Atores do Grupo TAPA.

03 de dezembro de 2010, 14 horas, Sala 167, Prédio de Letras da FFLCH-USP.

Duas Peças do Mar de Eugene O'Neill: Zona de Guerra (In the Zone, 1917 ) e Longa Viagem de Volta pra Casa (Long Voyage Home, 1917), traduzidas por Fernando Paz: transformações formais e processos cênicos. Com apresentação da pesquisa sobre a dramaturgia de Eugene O’Neill realizada pelo ator Roberto Leite (graduando em Artes Cênicas pela UNESP, Instituto de Artes), que atuou no Projeto Homens ao Mar sob a direção de André Garolli (Comp. de Teatro Triptal), tendo participado da montagem de quatro das peças do mar de Eugene O’Neill em São Paulo, em 2007-2008, e no Eugene O’Neill Festival em Chicago, em fevereiro de 2009.

Observação: pediu-se que os interessados lessem previamente os textos das quatro pequenas peças enviadas em anexo juntamente com a divulgação deste evento. Foram enviados também os arquivos originais das duas peças de Eugene O'Neill.

 

 

ATIVIDADES REALIZADAS PELO CENTRO ÁNGEL RAMA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2011

 

CURSO: Introdução ao Materialismo Histórico: da dialética hegeliana à crítica da economia política. Curso de 8 horas, ministrado pelo Prof. Dr. Daniel Puglia (DLM) nos dias 27/4 e 4/5. Apesar de quase duzentos pedidos de inscrição de alunos, professores da rede pública de ensino e interessados em geral, foi possível inscrever apenas 120 solicitantes.

 

LANÇAMENTO DE LIVRO E DEBATE: A Terceirização tem rosto de mulher, de Diana Assunção, com a presença da autora, do Prof. Jorge Souto Maior e da trabalhadora terceirizada Silvana. Dia 30/5.

 

CINECLUBE ÁNGEL RAMA: A DOUTRINA DO CHOQUE (Reino Unido, 2009, Direção de Mat Whitecross e Michael Winterbottom. 79 min. Legendas em português). Exibição do Filme-documentário baseado no livro-denúncia A Doutrina do Choque - A Ascensão do Capitalismo de Desastre, da pesquisadora e ativista política Naomi Klein. Debate, a seguir, com os Professores Marcos Soares e Daniel Puglia (USP-FFLCH-DLM). Objetivo: fomentar o debate crítico do quadro histórico contemporâneo.

Público-alvo: alunos de graduação e de pós da USP, professores das redes públicas de ensino, comunidade USP e interessados em geral.

Data: 17 de junho, às 14 horas, na Sala 271 do Prédio de Letras.

 

PREPARAÇÃO E LANÇAMENTO DA REVISTA LÍNGUA E LITERATURA, números 27 (2001-2003) e 28 (2004-2006), dia 1 de julho, 10h, sala 107. O lançamento contou com palestra de Eulógio Martinez, professor da Faculdade Paulista de Medicina, intitulada Os 50 anos do Parque do Xingu. A revista Língua e Literatura está, no momento, sob a coordenação do Prof. Eduardo Navarro, vice-diretor do Centro Ángel Rama.

 

ATIVIDADES REALIZADADAS PELO CENTRO ÁNGEL RAMA NO SEGUNDO SEMESTRE DE 2011 

(Obs.: Todas as atividades promovidas pelo CAR são gratuitas e seus programas e bibliografias são amplamente divulgados e disponibilizados na Copiadora para os inscritos).

 

1)Projeto de Iniciação Científica sobre Teatro Brasileiro, na modalidade sem bolsa, a ser orientado pela Profa. Dra. Maria Sílvia Betti.

Objetivo: fomentar a pesquisa sobre a dramaturgia e o teatro brasileiro contemporâneo entre os alunos de graduação da FFLCH-USP.

Público-alvo: graduandos da FFLCH-USP.

 

2) Proposta de encaminhamento de projeto de Pós-doutorado sobre a obra e o pensamento crítico de Ángel Rama, a ser desenvolvido a partir do segundo semestre de 2012 por uma recém-doutora do Programa de Literatura Brasileira do DLCV da FFLCH-USP. O projeto incluirá o estabelecimento de contatos institucionais com Universidades e entidades acadêmicas latino-americanas interessadas na pesquisa e na divulgação do trabalho de Ángel Rama e a organização do acervo do Centro relacionado ao trabalho do autor.

Objetivos: difundir e debater o pensamento e a obra de Ángel Rama e fortalecer o trabalho do Centro como entidade acadêmica ligada a ele. Desenvolver interlocuções de pesquisa com outras entidades interessadas no trabalho crítico de Ángel Rama.

 

3) CONVERSAS SOBRE TEATRO. Atividade programada dentro do Núcleo de Estudos Teatrais Décio de Almeida Prado, do Centro Ángel Rama, a cargo da Profa. Dra. Maria Sílvia Betti. Período: quinzenalmente, durante o segundo semestre de 2011, sala 39 do Prédio de Letras (segundo andar).

Objetivos: fomentar a pesquisa sobre a dramaturgia e o teatro brasileiro contemporâneo entre os alunos de graduação da FFLCH-USP.

Público-alvo: graduandos da FFLCH-USP.

Apresentação histórico-crítica, contextualização, exibição de entrevistas e/ou vídeodocumentários e debate sobre o trabalho de alguns dos mais expressivos diretores e de grupos teatrais de São Paulo.

Módulo I - FOLIAS D´ARTE

16 de agosto de 2011 – das 18h30 às 20h30

Cronologia comentada, contextualização das etapas de trabalho e perspectivas do pensamento artístico e político do grupo desde a sua fundação, em 1997, com Folias Fellinianas, até a montagem de Orestéia, o Canto do Bode, em 2007.

Exibição de DVD com entrevista com o diretor Marco Antonio Rodrigues.

Uma cronologia das etapas de trabalho do Folias D’Arte e uma bibliografia de textos dramatúrgicos e críticos serão fornecidas aos inscritos.

30 de agosto de 2011 – das 18h30 às 20h30

Palestra intitulada Ato político – A experiência da modernidade no Brasil pelo grupo teatral Folias D’Arte e debate com Gustavo Assano, jornalista, pesquisador e autor de pesquisa sobre a montagem de Orestéia, o Canto do Bode e sobre o pensamento político e artístico do Folias D’Arte. O palestrante, em seus estudos, analisa a trajetória do grupo teatral paulistano Folias D’Arte a partir de seu percurso artístico e político, tendo como principal corte referencial a montagem da peça Orestéia, o canto do bode e a militância do grupo no chamado Movimento de Arte Contra a Barbárie, iniciado no final da década de 1990. Inicialmente, o autor faz uma análise interpretativa de como se inscreve ideologicamente o grupo no momento de sua formação, confrontando seus posicionamentos com o conceito tornado hegemônico de “Fim da história” e traçando considerações sobre como a dramaturgia brasileira e o termo “drama” é pensado no Brasil historicamente. Em razão do fato de o Folias ser um grupo que abertamente se considera tributário do teatro épico de Bertold Brecht, o autor utiliza também como elemento de reflexão o conceito de “drama moderno”, elaborado por Peter Szondi, para analisar as especificidades desta conceituação estética trabalhada em território brasileiro, traçando também considerações sobre as especificidades da chamada “epicização” no Brasil. Feitas essas considerações teóricas sobre a trajetória do grupo e o material que o grupo discute, passa-se a situá-lo nas diversas formas que convencionalmente pensam os processos de criação coletiva, priorizando fundamentalmente o conceito de “retomada do teatro de grupo” e o conceito de “criação colaborativa”. A partir desse debate, o autor apresenta uma narrativa sobre a formação e a trajetória do grupo, expondo paralelamente a consolidação do Movimento de Arte Contra a Barbárie. Essas exposições são seguidas de uma contextualização política do início da década de 2000, a qual suscitou a montagem da peça Orestéia, o canto do bode, e uma descrição do texto de Ésquilo, confrontando-o com a montagem e os preceitos teóricos e históricos previamente expostos. O resultado do trabalho exporá que a busca pela excelência artística e a militância política são fatores que, para o grupo Folias, andam juntas, sendo este o preceito que culminou na formação de um movimento político vitorioso num cenário de ruínas para a esquerda brasileira, e a perda de sua força ocorre justamente quando estes preceitos são abandonados. Com esses elementos, passa-se a entender a montagem da Orestéia como um balanço crítico de todas estas questões suscitadas.

Módulo II – TEATRO DE ARENA

13 de setembro de 2011 - das 18h30 às 20h30

Cronologia comentada, contextualização das etapas de trabalho e perspectivas do pensamento artístico e político do grupo desde a sua fundação, em 1953, até a fase dos musicais da série “Arena conta...” na segunda metade da década de 60.

Exibição de DVD com entrevista com o diretor José Renato.

Uma cronologia das etapas de trabalho do Teatro de Arena e uma bibliografia de textos dramatúrgicos e críticos serão fornecidas aos inscritos.

27 de setembro de 2011 - das 18h30 às 20h30

Teatro-jornal: teatro de militância e de luta política realizado pelo núcleo jovem do Teatro de Arena nos anos de chumbo da ditadura militar e do AI-5.

Convidado: Eduardo Campos Lima, jornalista, mestrando e pesquisador.

Módulo III – Grupo TAPA

11 de outubro de 2011 - das 18h30 às 20h30

Cronologia comentada, contextualização das etapas de trabalho e perspectivas do pensamento estético e formativo do grupo com foco no projeto de montagens intitulado Panorama do Teatro Brasileiro.

Uma cronologia das etapas de trabalho do TAPA e uma bibliografia de textos dramatúrgicos e críticos serão fornecidas aos inscritos.

Exibição de um pequeno documentário sobre o trabalho do TAPA.

25 de outubro de 2011 - das 18h30 às 20h30

Perspectivas de formação: apresentação, contextualização e discussão de uma pequena bibliografia sobre as etapas de trabalho teatral realizadas pelo grupo TAPA. 

Módulo IV – Análise de Espetáculos

07 de novembro de 2011 - das 18h30 às 20h30

Levantamento de elementos estilísticos e dramatúrgicos para uma observação analítica. Apresentação de bibliografia crítica relacionada. Escolha de dois espetáculos em cartaz para discussão e aplicação dos elementos observados. 

21 de novembro de 2011 - das 18h30 às 20h30

Debate dos espetáculos analisados e levantamento de perspectivas de trabalho para professores. Discussão de possíveis abordagens dentro das Linhas de Pesquisa de Teatro e Dramaturgia Comparada.

 

4) PALESTRA: Canções, Poemas e Histórias. Busca de princípios para uma atuação a partir de estudos sobre griots africanos e jograis medievais europeus, proferida pelo ator, pesquisador e mestre em Artes Cênicas pela UNESP Ricardo Ribeiro. Dia 18 de agosto de 2011, quinta-feira, às 14h, sala 110 do Prédio de Letras. (Atividade proposta pelo Núcleo de Estudos Teatrais Décio de Almeida Prado, do Centro Ángel Rama).

Resumo: Apresentação da pesquisa de mestrado realizada na UNESP sob a orientação da Profa. Dra. Berenice Raulino sobre experiências cênicas com canções, poemas e histórias que despertaram questionamentos sobre um tipo de atuação capaz de integrar aspectos do ofício do ator, do músico, do contador ou cantador de histórias e do recitador de poemas.

Discussão dos princípios éticos e estéticos presentes na atuação dos griots africanos e dos jograis medievais europeus, com destaque para os seguintes aspectos:

- um fazer artístico mais autônomo e menos fragmentado em funções como as de dramaturgo, intérprete e encenador;

- a itinerância, o trabalho sobre a memória e o imaginário a partir de repertórios poéticos, narrativos e musicais;

- a intervenção em espaços de convívio comunitário e a possibilidade de um diálogo mais próximo, direto, com o público.

Os princípios destacados no estudo teórico realizado foram vivenciados em duas etapas práticas, resultando em criações e intervenções cênicas apresentadas de forma itinerante em São Paulo, Minas Gerais e no Chile. Essas experiências foram registradas por meio de um diário de bordo e de recursos audiovisuais, e posteriormente sistematizadas. A relação entre teoria e prática mostrou-se extremamente dinâmica: se, por um lado, a teoria ofereceu princípios para a prática, contribuindo também para sua sistematização, a prática, por sua vez, possibilitou uma elaboração teórica que integra aspectos racionais, sensoriais e afetivos, ou seja, preenchida pelas marcas da experiência. Nesse processo, o sentido do termo “atuação” foi sendo ampliado para além de uma presença cênica, referindo-se à presença do artista na sociedade, ao conjunto de interações que estabelece em seus caminhos, à sua intervenção no mundo.

 

5) Lélia Abramo, Vida, Arte e Pensamento Político (1ª Parte). Atividade programada pelo Núcleo de Estudos Teatrais Décio de Almeida Prado, do Centro Ángel Rama, a cargo da Profa. Dra. Maria Sílvia Betti (DLM e Centro Ángel Rama) e da Profa. Dra. Maria Augusta Fonseca (DTLLC).

Objetivos: assinalar o centenário de nascimento da atriz e militante Lélia Abramo, discutir sua trajetória artística, seu pensamento militante, e contextualizá-la dentro do quadro histórico relacionado.

Público-alvo: comunidade USP em geral, docentes das redes públicas de ensino e demais interessados.

Datas: 19 e 26 de agosto, das 9h30 às 11h45, sala 110 do Prédio de Letras.

Estrutura Proposta:

Primeiro dia (19/8): Contextualização da vida, carreira e pensamento de Lélia Abramo com base em seu livro de memórias Vida e Arte. Memórias de Lélia Abramo. São Paulo: Editora da Fundação Perseu Abramo/Imprensa Oficial do Estado de São Paulo.

Professoras Maria Augusta Fonseca e Alcione Abramo (a confirmar).

Duração: 1 hora e 30 minutos aproximadamente.

Obs.: Um texto extraído do livro será deixado à disposição dos interessados para reprodução no Xerox de Letras.

Lélia por Lélia: Exibição de DVD com entrevista concedida por Lélia Abramo ao programa Grandes Damas do Teatro, de 2001. Duração: 45 minutos aproximadamente.

Segundo dia (26/8): A carreira teatral de Lélia Abramo discutida à luz de alguns de seus mais marcantes papéis (parte 1): a personagem “Romana”, de Eles Não Usam Black-Tie, de Gianfrancesco Guarnieri, escrita e encenada em 1958 no Teatro de Arena de São Paulo sob a direção de José Renato, e a personagem “Dolores”, de Vereda da Salvação, de Jorge Andrade, dirigida por Antunes Filho em 1964.

Profa. Dra. Maria Sílvia Betti

Duração: 45 minutos aproximadamente.

Em seguida, exibição do filme Eles não usam Black-tie.

Obs.: Os textos das duas peças serão deixados à disposição dos interessados para reprodução no Xerox de Letras.

BIBLIOGRAFIA

ABRAMO, Lélia. Vida e arte. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 1997.

ALMEIDA, Maria Inez Barros de. Panorama visto do Rio: Teatro Cacilda Becker. Rio de Janeiro: Minc/Inacen, 1987.

BOAL, Augusto. Teatro do oprimido e outras poéticas políticas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1977.

DIONISOS - Teatro de Arena. Rio de Janeiro: MEC-SNT, nº 24, out. 1978.

GUZIK, Alberto. TBC: crônica de um sonho. São Paulo: Perspectiva, 1986.

MICHALSKI, Yan. O teatro sob pressão. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

MILARÉ, Sebastião. Antunes Filho e a dimensão utópica. São Paulo: Perspectiva, 1997.

MOSTAÇO, Edélcio. Teatro e política: Arena, Oficina e Opinião. São Paulo. Editora Proposta, 1982.

 

6) CINECLUBE ÁNGEL RAMA: CICLO DE FILMES SOBRE A CRISE ECONÔMICA. Exibição do documentário Capitalismo: uma história de amor, de Michael Moore (EUA, 2009, 127 min., legendas em português). Dia 19/8, às 14h30, na sala 270 do Prédio de Letras da FFLCH. A exibição foi seguida de debate com a doutoranda Cristiane Toledo Maria (FFLCH-USP).

 

7) LANÇAMENTO do livro SAMPA: um laboratório para mestres, alunos e visitantes, da Editora Lua Nova, com a presença de Gerson e Zuza Camelo, autores do livro.  Dia 25 de Agosto, quinta-feira, 14h, sala 165 do Prédio de Letras.  

Resumo:

SAMPA é um livro que trata da cidade de São Paulo, com uma abordagem temporal e espacial. Nele, pode-se viajar pelas paliçadas do padre José de Anchieta, no século XVI, passar pelo Teatro Municipal de Ramos de Azevedo e dos Irmãos Rossi, o Parque do Ibirapuera, o Copan e o Memorial da América Latina, de Oscar Niemeyer, no século XX, e chegar ao moderno Museu do Futebol, construído no século XXI. Este livro apresenta as áreas que servem como laboratório para o desenvolvimento de aulas de campo destinadas a alunos de todos os níveis escolares e, concomitantemente, aponta as virtudes e as contradições existentes no interior desta capital, a maior cidade dos trópicos. SAMPA destaca a geografia dos espaços culturais, gastronômicos, esportivos e comerciais dos paulistanos e de seus convidados que vêm de vários pontos geográficos do Brasil e do mundo. Entre esses lugares, encontram-se também os territórios das universidades e das esferas dos poderes municipais e estaduais situados na capital. O livro de Gerson e Zuza procura trazer e reforçar informações sobre São Paulo e, com isso, ressaltar sua importância junto aos seus habitantes e visitantes e, consequentemente, fazer com que eles se sintam em casa. Esta cidade é o local do grande encontro entre os brasileiros de todas as regiões do Brasil, de norte a sul e de leste a oeste, assim como daqueles que vêm de outras paragens do globo terrestre. SAMPA: um laboratório para mestres, alunos e visitantes é um livro para si próprio e para presentear amigos daqui e de fora que queiram passear em suas páginas e visitar o tempo e o espaço da ex-Vila de São Paulo dos Campos de Piratininga, da Real Cidade de São Paulo, do século XIX, e desembarcar na moderna cidade de São Paulo, megalópole do século XXI, cujo futuro tem que preservar a importância histórica de seu passado.

Sobre Gerson Vieira Camelo – Pesquisador do teatro negro revolucionário no contexto norte-americano. Professor da rede pública de ensino (E.E. Almeida Júnior). Doutor em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês pela Universidade de São Paulo (2010), Mestre em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês pela Universidade de São Paulo (2004) e graduado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1990). Autor da tese Four Black Revolutionary Plays: Amiri Baraka e a Construção de uma Dramaturgia Revolucionária Negra (2010) e da dissertação A representação da cultura negra como elemento de crítica e de militância na peça Dutchman, de Amiri Baraka (2004).

Sobre Zuza Veira Camelo — José Vieira Camelo Filho, que assina Zuza Vieira Camelo, nasceu em 14 de junho de 1952, no Ingongo, Fazenda Gameleira, Distrito do Espírito Santo, município de São João do Piauí-PI. É pesquisador do Rio São Francisco, professor da E. E. Prof. Emygdio de Barros, Pós-Doutor em Políticas Públicas, Doutor em Economia, Especialização em Economia do Trabalho e Sindicalismo pela Unicamp. Mestre em História, Bacharel em Ciências Sociais, Geografia e Licenciatura em Geografia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo-PUC/SP. No Pós-Doutorado, elaborou uma pesquisa a respeito do Rio São Francisco e de seu Vale. No Doutorado teve como objeto de estudo as estradas de ferro do Nordeste e, para a realização do Mestrado, desenvolveu uma pesquisou acerca do cangaço. É autor do livro Espírito Santo: um pontinho do Brasil que não pode ser apagado, Edições Pulsar, 2001, e de Lampião, o Sertão e Sua Gente, Editora Lua Nova, 2008.

LUA NOVA - luanovanovo@gmail.com

 

8) CURSO: Crítica da Economia Política: a era do capital, ministrado pelo Prof. Dr. Daniel Puglia (DLM-FFLCH). Dias 26/8 e 2/9, das 14h30 às 18h30, sala 270 do Prédio de Letras.

O curso foi oferecido a professores da rede pública, alunos, funcionários da USP e ao público em geral.

Objetivo: Discutiram-se conceitos e obras do período em que a crítica da economia política amplia seu escopo de intervenção teórico-prática: os escritos sobre a guerra de secessão nos EUA publicados no New York Daily Tribune, a Primeira Internacional, O Capital, valor, dinheiro, mais-valia, mercadoria, a comuna de Paris, A Guerra Civil na França, as polêmicas com Bakunin e Lassalle, Crítica ao Programa de Gotha, Anti-Duhring e, por fim, as Teorias sobre a mais-valia.

Bibliografia: do capítulo “Vogt” até “Posteridade” do livro Marx: vida e obra, de Leandro Konder. Esse material será deixado para xerox na copiadora do Prédio de Letras, na pasta “Curso de Difusão 3”.

 

9) DEBATE sobre PRÉ-SAL E DESINDUSTRIALIZAÇÃO, com Plínio de Arruda Sampaio Jr., professor de Instituto de Economia da UNICAMP, e Ildo Sauer, professor do IEE/USP. Dia 31 de agosto próximo, às 17h, no Anfiteatro de Geografia da FFLCH/USP.

 

10) Lançamento, seguido de debate, dos livros O Craque de 1929 e a Grande Depressão da década de 30; A crise do capitalismo mundial: de Nova York a Pequim, com escala em Atenas; Islã histórico e islamismo político; O poder e a glória: crescimento e crise no capitalismo do pós-guerra (1945-2000); Da revolução industrial ao movimento operário: as origens do mundo contemporâneo, todos de autoria de Osvaldo Coggiola, Professor de História da FFLCH/USP. Data a ser definida e amplamente divulgada.

 

11) Peças do Mar em debate: Teledramaturgia e Cinema. Apresentação e discussão de duas adaptações teledramatúrgicas e uma cinematográfica das peças em um ato escritas entre 1914 e 1917: Rumo a Cardiff, Zona de Guerra, Longa Viagem de Volta pra Casa, Onde a Cruz está Marcada, de Eugene O”Neill, dramaturgo norte-americano (1888-1953).

Ao empreender a representação de proletários, marujos e estivadores – todos desprovidos de qualquer outro bem que não sua própria força de trabalho – a dramaturgia de Eugene O’Neill coloca em foco processos de utilização de mão de obra escrava no contexto do trabalho marítimo em pleno início do século XX e lida com importantes desafios sob o ponto de vista de sua representação cênica. Dia 16 de setembro de 2011, das 14 às 18h, na sala 261 do Prédio de Letras.

Foram disponibilizadas no Xerox as traduções de Rumo a Cardiff, Zona de Guerra, Longa Viagem de Volta pra Casa, Onde a Cruz está Marcada, na pasta da disciplina de pós “Teatro Moderno”, Profa. Maria Sílvia Betti.

 

12) CICLO DE ENCONTROS intitulado Ópera e Literatura: uma leitura intertextual. Série de quatro Encontros a cargo da doutora em Literatura Brasileira pelo DLCV, Anita de Moraes. Dias 27 de outubro e 03, 10 e 17 de novembro, das 14h às 16h, na sala 169 do Prédio de Letras.

Objetivo: Proporcionar uma breve introdução à ópera como gênero musical a partir do diálogo intertextual com obras literárias.

Público-alvo: comunidade USP, docentes das redes públicas de ensino e interessados em geral.

Período previsto de oferecimento: segundo semestre de 2011. Serão deixados na copiadora do prédio de Letras textos relativos às palestras.

Programa:

Palestra 1 (27/10) – Uma análise comparativa entre a ópera Don Giovanni, de Wolfgang Amadeus Mozart e Lorenzo da Ponte, e o texto dramático de José Saramago, Don Giovanni ou o dissoluto absolvido (2005), com exibição de cenas do vídeo produzido pela Royal Opera House (2008).

Palestra 2 (03/11) – O diálogo intertextual existente entre a ópera La Traviata (Giuseppe Verdi e Francesco Maria Piave) e o romance A Dama das Camélias, de Alexandre Dumas Filho, a partir da análise da personagem feminina, com exibição de cenas do vídeo produzido pela Royal Opera House (1994).

Palestra 3 (10/11) – A temática do amor traído e o sentimento de vingança em Norma (Vincenzo Bellini e Felici Romani) e o romance Senhora, de José de Alencar, com exibições do vídeo produzido pela Canadian Opera (1992).

Palestra 4 (17/11) – O diálogo intertextual existente entre a ópera Thais (Jules Massenet/L. Gallet) e o romance de mesmo título de Anatole France, a partir da abordagem da protagonista feminina.

 

13) PALESTRA ILUSTRADA: Teledramaturgia: origens no Brasil, histórico e visão de conjunto. A cargo do Prof. Ms. Flávio Luiz Porto e Silva (FAAP). Atividade programada dentro do Núcleo de Estudos Teatrais Décio de Almeida Prado, do Centro Ángel Rama, a cargo da Profa. Dra. Maria Sílvia Betti. Segundo semestre de 2011, em data a ser definida.

Objetivo: difundir o interesse de pesquisa sobre a teledramaturgia entre os alunos de graduação da FFLCH-USP.

Público-alvo: graduandos da FFLCH-USP.

 

14) Realização e registro videográfico de entrevistas com encenadores, dramaturgos e pesquisadores do teatro brasileiro contemporâneo. Atividade programada dentro do Núcleo de Estudos Teatrais Décio de Almeida Prado, do Centro Ángel Rama, a cargo da Profa. Dra. Maria Sílvia Betti.

Atividade a ser desenvolvida com pesquisa prévia realizada sob a supervisão da Profa. Dra. Maria Sílvia Betti com graduandos e pós-graduandos visando à constituição de um conjunto de registros videográficos que poderá ser compartilhado como material de pesquisa. Observação: atividade a ser iniciada assim que o Centro Ángel Rama concluir a aquisição do equipamento necessário.

Entrevistas a serem programadas:

Chico de Assis – dramaturgo, diretor, ator e formador.

Sílvio Zilber – ator, integrou o elenco do Teatro de Arena de São Paulo.

Izaías Almada – ator e historiador do teatro.

Dulce Muniz – atriz, integrou o elenco do Teatro de Arena de São Paulo, dirige o Núcleo do 184.

Tin Urbinatti – diretor do grupo Forja, ator, formador.

Objetivos: fomentar a pesquisa sobre a dramaturgia e o teatro brasileiro contemporâneo entre os alunos de graduação da FFLCH-USP.

Público-alvo: graduandos da FFLCH-USP.

 

15) PREPARAÇÃO E LANÇAMENTO DA REVISTA LÍNGUA E LITERATURA, números 29 (2007-2009) e 30 (2010-2011). A revista Língua e Literatura está, no momento, sob a coordenação do Prof. Eduardo Navarro, vice-diretor do Centro Ángel Rama. Lançamento previsto para outubro próximo.

 

16) CINECLUBE ÁNGEL RAMA: Exibição de It´s a Free World, de Ken Loach, e de uma pequena mostra dos filmes de Michael Moore, a cargo da doutoranda Cristiane Toledo Maria (FFLCH-DLM). A confirmar!

 

17) Contextualização, Discussão e Bibliografia do Auto dos 99% ou Como a Universidade Capricha no Subdesenvolvimento. Texto da equipe de redação do Centro Popular de Cultura da União Nacional dos Estudantes. Atividade de greve organizada pelo Núcleo de Estudos Teatrais Décio de Almeida Prado, do Centro Ángel Rama. Dia 29 de novembro, das 15h às 17h30, na sala 169 do Prédio de Letras.

 

18) PALESTRA A perseguição religiosa no Irã atual e a ação diplomática do Brasil e de outros países sul-americanos com relação a ela, a ser proferida por Neissan Monadjem, do Movimento Internacional Bahá’í. Dia 21 de outubro, às 11h30, na sala 107 do Prédio de Letras.

 

19) LEITURA DRAMÁTICA de PESADELO, dramaturgia de criação coletiva dos integrantes do Grupo Forja, com direção de Tin Urbinatti, e LANÇAMENTO da ANTOLOGIA PEÕES EM CENA. Na obra Peões em Cena, Tin Urbinatti narra a experiência teatral feita no Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo pelo Grupo de Teatro Forja, durante as grandes greves no período da Ditadura Militar. A edição reproduz entrevistas com os operários-atores, análises dos críticos sobre os espetáculos apresentados, repercussão dos trabalhos do Grupo de Teatro Forja dentro e fora do Brasil e, ainda, dois textos de criação coletiva do grupo: Pensão Liberdade e Pesadelo. O Grupo Forja, constituído por operários metalúrgicos do ABC, resistiu até meados de 1990 fazendo todo tipo de teatro, driblando a repressão dentro e fora das fábricas por meio da arte. Dia 17 de outubro, às 20h, na sala 212 do Prédio de Letras.

Houve uma conversa com Tin Urbinatti e os atores após a leitura.

 

20) EXIBIÇÃO do filme Les sorcières de Salem (1957), adaptação cinematográfica da peça The Crucible (1953), de Arthur Miller, com roteiro de Jean-Paul Sartre. Dia 4 de novembro, às 14h, na sala 262 do prédio de Letras.

 

21) LANÇAMENTO de livros de autoria de Osvaldo Coggiola, professor do Departamento de História da FFLCH/USP, seguido de DEBATE.

 Livros: O Craque de 1929 e a Grande depressão da década de 30

            A crise do capitalismo mundial: de Nova York a Pequim, com escala em Atenas

            Islã histórico e islamismo político

            O poder e a glória: crescimento e crise no capitalismo do pós-guerra (1945-2000)

           Da revolução industrial ao movimento operário: as origens do mundo contemporâneo

Dia 26 de outubro, às 18h, na sala 14 do Prédio de Filosofia e C. Sociais