Diretora é homenageada com Prêmio Amigo do Livro

O prêmio foi entregue às pessoas que têm ligação afetiva com o livro e com sua história
Por
Eliete Viana
Data de Publicação
Editoria
Institucional
Notícias




Em cerimônia realizada na noite desta quinta-feira, dia 15 de março, foi entregue o prêmio I Prêmio Amigo do Livro, na sala Villa-Lobos da Biblioteca Brasilina Mindlin, órgão da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP.

Este prêmio “se destina a personalidades que permitiram aos livros entrar em suas vidas, construindo por meio deles seus sonhos, seus trabalhos e seus laços de amizade e, também, aqueles que participaram e apoiaram, desde o início a Revista Livro”, destaca o coordenador do Núcleo de Estudos do Livro e da Edição (Nele), Plinio Martins Filho, responsável pela premiação.

A Revista Livro está na sétima edição e é voltada aos estudos universitários da área de cultura letrada no país. É uma publicação do Nele, vinculado ao departamento de Jornalismo e Editoração da ECA, criado com a ideia de homenagear e valorizar o livro.

Premiação

A diretora da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), Maria Arminda do Nascimento Arruda, e professora do Departamento de Sociologia, foi uma das premiadas no evento. Segundo a organização, sua indicação foi pelo fato da professora Maria Arminda apoiar projetos culturais comprometidos com a missão universitária e que ao mesmo tempo têm uma singular sensibilidade.
 

professora Maria Arminda do Nascimento Arruda
Em seu discurso de agradecimento, Maria Arminda lembrou da importância e da presença do livro em sua vida - Foto: Fábio Nakamura / STI-FFLCH




 

Na entrega da premiação, Maria Arminda disse estar emocionada pelo prêmio e por ele ser entregue na Biblioteca Brasilina, da qual teve participação na sua institucionalização – ela foi pró-reitora de Cultura e Extensão Universitária da USP no período de 2010 a 2016 e a inauguração oficial da Biblioteca foi em 2013 – e falou sobre sua ligação com o livro.

“Parte da minha história na USP sempre esteve envolvida com os livros, que são a principal essência do melhor que a civilização produziu. Lutei para que a cultura pudesse ter um lugar fundamental na vida da Universidade, não só na Pró-Reitoria, mas também na minha vida acadêmica. Enxergo este prêmio como um reconhecimento ao trabalho e à luta em pensar um mundo melhor, mais civilizado, o mundo da cultura, do livro”, agradeceu Maria Arminda ao receber um diploma e uma escultura feita pela artista Maria Bonomi.


Outras personalidades também receberam a homenagem. O editor e tradutor Claudio Giordano, criador da oficina Rubens Borba de Moraes; os proprietários da Lis Gráfica, Adelino Gameiro Ferreira e Leonardo Guimarães, os quais ajudaram na impressão da Revista Livro e das publicações da editora-laboratório da ECA; e o designer Ricardo Assis, diretor da Negrito Editorial.

Apresentações
 

O evento teve o lançamento do livro As Bibliotecas de Maria Bonomi (Publicações BBM), obra que reúne as gravuras da artista citada no título da com o texto da professora da ECA Marisa Midori Deaecto, em uma viagem pelas bibliotecas do mundo.

Depois, foi exibido o vídeo da exposição Revista Livro e as Bibliotecas de Maria Bonomi, organizada por Lauro Rocha. E ainda teve com a apresentação musical do violeiro Ivan Vilela, também pesquisador da ECA.