Massaud Moisés e a sua importância na Literatura Portuguesa

O professor foi discípulo dos introdutores dos estudos de literatura portuguesa no Brasil, formou várias gerações, tem obras que são referências e era um dos grandes estudiosos de Fernando Pessoa
Por
Eliete Viana
Data de Publicação
Editoria
Institucional
Notícias


 

foto do professor Massaud Moisés
O professor Massaud Moisés lecionou por mais de quarenta anos até se aposentar em 1995 – Foto: Divulgação / Academia Paulista de Letras


No último dia 11 de abril, faleceu, com 90 anos, o professor aposentado Massaud Moisés, da área de Literatura Portuguesa do Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas (DLCV) da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP.

Os estudos de Literatura Portuguesa haviam sido introduzidos nas universidades brasileiras a partir de finais da década de 1930. Na USP, esse trabalho se deu pelas mãos do professor português Fidelino de Figueiredo, cujo trabalho foi continuado pelo seu discípulo António Soares Amora, a quem sucedeu Massaud Moisés.

Durante toda a sua carreira, Moisés desenvolveu importantes trabalhos de pesquisa e escreveu inúmeros artigos e livros nas áreas de teoria literária, literatura portuguesa e literatura brasileira.

O docente ingressou como assistente da Cadeira de Literatura Portuguesa, em 1952, na então Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCL). Dois anos depois, em 1954, assumiu oficialmente a mesma Cadeira e lecionou por mais de quarenta anos até se aposentar em 1995, no atual Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas. Na Unidade, dirigiu o Centro de Estudos Portugueses (1956-1957, 1968-1986). 

Fora da USP, foi diretor das Faculdades de Filosofia, Ciências e Letras de Marília e Assis, que depois vieram a ser incorporadas à Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Obra


Para destacar a importância de sua obra, conversamos com a professora do DLCV Flavia Maria Ferraz Sampaio Corradin, que também é da área de Literatura Portuguesa.

A professora teve aulas com Moisés somente na pós-graduação, mas tornou-se amiga do professor e de sua família, e lembra-se que ele foi “um homem que se dedicou a vida inteira a ensinar”. A docente destaca que ele ensinava a aprender, pois achava que não podia dar as fórmulas prontas para os alunos e, assim as aulas eram construídas e feitas também pelos estudantes.

capa do livri A Literatura Portuguesa Através dos Textos
Uma das publicações do professor, que teve destaque no ambiente universitário e nas escolas

Flavia ressalta que não é fácil fazer análise literária, atividade que o professor fazia muito bem e para a qual ele tinha uma metodologia de ensino que facilitava e levava os alunos a conseguirem fazer uma análise de texto, seja mais simples ou complexa. Esta metodologia citada pela professora está presente na obra A Análise Literária, que ensina a fazer a leitura crítica de uma obra de ficção.

“O nome do professor Massaud está ligado e é referência na literatura portuguesa”, declara Flavia sobre a importância do docente na área, cujo reconhecimento se deu também em Portugal. O docente foi coordenador da revista Colóquio/Letras, da Fundação Calouste Gulbenkian, com sede em Lisboa, voltada especificamente para o estudo e a divulgação da atividade literária em Língua Portuguesa.

A docente destaca que Moisés
também trabalhou muito tempo fora do Brasil. Foi professor visitante nas Universidades de Wisconsin (1962-1963), Indiana (1967-1968), Texas (1971), Califórnia (1982), Vanderbilt (1970-1987), todas nos Estados Unidos; bem como na Universidade de Santiago de Compostela (2001), Espanha.

Alguns livros do professor tiveram grande divulgação no meio universitário e também nas escolas, sendo referências na área de Literatura Portuguesa até hoje, como A Literatura Portuguesa, com mais de 30 edições. Mas, a professora cita outras obras de destaque também: A Literatura Brasileira Através dos Textos; A Literatura Portuguesa Através dos Textos; A Criação Literária; e Dicionários de termos literários. Todas publicações da Editora Cultrix.

Além disso, o professor foi um dos grandes estudiosos de Fernando Pessoa no Brasil, com destaque para a obra Fernando Pessoa: O espelho e a esfinge.

Academia Paulista de Letras

Desde março de 2000, Massaud Moisés ocupava a cadeira de número 17 da Academia Paulista de Letras, cujo fundador foi Carlos de Campos e o patrono Américo Campos.

Biblioteca da Casa de Portugal
Estantes e parte do acervo que compõe a Biblioteca da Casa de Portugal, doados pelo professor Moisés – Foto: Divulgação / Casa de Portugal


Entre os prêmios que recebeu está o de comendador da Ordem do Infante D. Henrique de Portugal, em 26 de novembro de 1987. Criada pela diretoria da Casa de Portugal de São Paulo, esta homenagem é destinada a personalidades físicas ou jurídicas que tenham desempenhado uma ação contínua e valorosa em prol da valorização da imagem de Portugal, dos portugueses e das relações entre as duas nações.

E, em 2015, Moisés doou sua biblioteca pessoal, com livros e todo o mobiliário, para a Casa de Portugal, localizada no bairro da Liberdade, em São Paulo.


O professor deixa sua mulher, três filhas – duas de seu casamento anterior – e dois netos. Uma das filhas também é docente da FFLCH: Beatriz Perrone Moisés, do Departamento de Antropologia.