Professora Tae Suzuki é condecorada por governo japonês

A homenagem é em reconhecimento à sua contribuição à divulgação da língua e cultura japonesa na área da educação. Ela é docente aposentada do Departamento de Letras Orientais e ex-diretora do Centro de Estudos Japoneses
Por
Eliete Viana
Data de Publicação
Editoria
Notícias


 

embaixador Japão, professora Tae e familiares
O embaixador do Japão, Akira Yamada, e a professora Tae Suzuki seguram diploma entregue a ela na homenagem. Na imagem, estão familiares e amigos da docente, entre eles, uma ex-aluna da FFLCH, que tornou-se professora da UnB e ajudou a criar o curso de japonês nesta instituição - Foto: Embaixada do Japão no Brasil


A professora aposentada Tae Suzuki, da área de japonês do Departamento de Letras Orientais da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP foi condecorada com a Comenda Ordem do Sol Nascente, Raios de Ouro com Laço, em reconhecimento à sua contribuição à divulgação da língua e cultura japonesa na área da educação. 

A cerimônia de entrega das condecorações de outono de 2018 foi realizada junto com a Recepção do Ano Novo de 2019, em 30 de janeiro deste ano, na residência oficial do embaixador do Japão, em Brasília. O evento teve a presença de cerca de 340 convidados entre autoridades governamentais, parlamentares e representantes da comunidade nipo-brasileira.

A homenagem foi criada em 1875, pelo Conselho de Estado do Japão. Ela é concedida pelo imperador às personalidades que contribuíram para a divulgação da cultura japonesa em seus países.  

Tae lecionou por mais de 40 anos. Na FFLCH, exerceu sua carreira acadêmica de 1975 a 2005; foi chefe do Departamento de Letras Orientais de 1994 a 1996; e diretora do Centro de Estudos Japoneses de 1992 a 1994 e de 1996 a 2003. Fora da USP, atuou ainda como professora adjunta do curso de Japonês do Departamento de Línguas Estrangeiras da Universidade de Brasília e professora visitante ATER do Departamento de Japonês da Universidade de Estrasburgo.

Entre as justificativas do governo japonês para a entrega da homenagem, estão que ela ajudou a fundar o Programa de Pós-Graduação em Língua, Literatura e Cultura Japonesa na USP; que “a maioria dos principais estudiosos sobre o Japão no Brasil” são seus ex-alunos; contribuiu para transmitir a cultura japonesa através da tradução de obras literárias clássicas e também por meio dos seus próprios livros; além de ter atuado como intérprete de português-japonês para as autoridades brasileiras por longo tempo, promovendo a relação de amizade entre os dois países.

Esta condecoração não é a primeira que a docente da FFLCH recebeu do governo japonês. Em setembro de 2017, ela foi agraciada com Diplomas de Honra ao Mérito do Ministro dos Negócios Estrangeiros do Japão, pela contribuição para a elevação social dos nikkeis (refere-se aos descendentes de japoneses nascidos fora do Japão ou aos japoneses que vivem no exterior), divulgação da cultura e da literatura do Japão.
 

outra condecoração recebida
Em setembro de 2017, a professora Tae recebeu outra homenagem do governo japonês: Diplomas de Honra ao Mérito do Ministro dos Negócios Estrangeiros do Japão, pela contribuição para a elevação social dos nikkeis - Foto: Embaixada do Japão no Brasil

Trabalho em equipe 

Ao ser perguntada sobre a importância do seu trabalho docente para a divulgação da língua e cultura japonesa, a professora Tae é modesta e acredita que ela que teve “a oportunidade de estar na direção do Centro de Estudos Japoneses no momento em que ele foi um centro catalisador para a criação de um Programa de Pós-Graduação na área, através da vinda de professores visitantes e da formação de uma biblioteca especializada”. 

Além disso, Tae declara que pode ter contribuído, mas não foi sozinha. “Sou da equipe que ajudou a formar e a sedimentar as bases para o Programa de Pós-Graduação em Língua, Literatura e Cultura Japonesa, o primeiro da área no Brasil. Por isso, este prêmio, para mim, não é individual. O mérito é de toda uma equipe que atuou conjuntamente na época”, ressalta.  

Outros premiados 

Também receberam comendas nas condecorações de outono de 2018 outras duas pessoas: Minoru Takahashi, em reconhecimento pela liderança da comunidade nipo-brasileira em Guararapes e em Brasília ao longo dos anos; e Waldemar Hiroshi Umeda, por sua contribuição ao estreitamento da relação de cooperação entre o governo local e a sociedade nipo-brasileira em Brasília. Ambos foram agraciados com a comenda Ordem do Sol Nascente, Raios de Ouro e de Prata. 

Em 2016, outro docente da Faculdade foi condecorado com a mesma Comenda: Sedi Hirano, do Departamento de Sociologia, o qual foi diretor da Faculdade de 2002 a 2005, pró-reitor de Cultura e Extensão Universitária de 2005 a 2007; além de ter recebido, em 2010, o título de professor emérito da FFLCH.