Debate sobre a presença da mulher na universidade e na política marca dia 8 de março na FFLCH

O evento terá a participação das professoras da FFLCH-USP e da UFRJ, Eva Alterman Blay e Lena Lavinas, com mediação da socióloga e diretora da FFLCH, Maria Arminda do Nascimento Arruda
Por
Eliete Viana
Data de Publicação
Editoria
Institucional
Notícias

 

 

No Dia Internacional da Mulher, 8 de março, a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP realiza a conferência Mulher, Academia e Política. O debate acontecerá às 10h e terá a participação das professoras Eva Alterman Blay e Lena Lavinas, respectivamente, docentes da FFLCH-USP e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que vão debater a situação das mulheres na Academia e na Política.

Professora Eva Blay
Eva Blay é um dos principais nomes do feminismo no Brasil - Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

A mediadora deste debate será a socióloga e diretora da FFLCH, Maria Arminda do Nascimento Arruda, a qual destaca que a ideia do evento é fazer uma reflexão sobre a condição da mulher no mundo contemporâneo.

Debate necessário

“Será uma reflexão realizada por mulheres sobre a importância pública delas. Pois, apesar da forte presença das mulheres em todas as esferas, elas estão pouco contempladas nos cargos mais altos da universidade e da política. Por isso, há muito o que fazer ainda”, declara Maria Arminda, que é a segunda mulher a tornar-se professora titular no Departamento de Sociologia – a primeira foi Eva Blay – e a segunda a exercer o cargo de diretora na Unidade.

Para a
socióloga Eva Alterman Blay, que é professora titular sênior do Departamento de Sociologia da FFLCH e coordena o Escritório USP Mulheres, desde 2016, 8 de março é um dia de luta, que é importante existir para que a sociedade reconheça os direitos humanos das mulheres e a cidadania delas, uma questão que no Brasil e no mundo ainda á problemática.

“Não é verdade que alcançamos tudo. Pois, a violência e a discriminação ainda existem. É preciso educação para que esta cultura mude e se torne uma cultura que seja sensível aos direitos das mulheres. Por exemplo, no Brasil, ainda querem mexer em direitos garantidos na Constituição de 1988”, destaca a socióloga.

professora Lena Lavinas
Lena Lavinas é professora titular na UFRJ - Foto: Divulgação

No debate promovido pela FFLCH, Eva falará sobre a política universitária para as mulheres, respondendo à questão Onde estão as mulheres na USP?. E, a professora titular do Instituto de Economia da UFRJ, Lena Lavinas, vai abordar as mudanças recentes nas assimetrias de gênero e pensar em como isso vai impactar o ensino e a trajetória acadêmica das mulheres em geral, comparando países desenvolvidos e o Brasil.

Lena leciona Economia do Bem-estar e Avaliação de Políticas Públicas e Programas Sociais. Suas principais áreas de pesquisas são: avaliação de programas sociais de combate à pobreza; análise de impacto dos programas de transferência de renda; desigualdades de gênero e mercado de trabalho; sistemas de proteção social em perspectiva comparada; política social e desenvolvimento econômico; sistemas de informação e gestão pública.

A participação no evento é gratuita e aberta ao público em geral. Haverá emissão de certificado para as pessoas que registrarem presença no dia.

A conferência será realizada no dia 8 de março, às 10h, no Auditório Nicolau Sevcenko, do prédio de Geografia e História da FFLCH-USP, que está localizado na Av. Professor Lineu Prestes, 338 – Cidade Universitária, São Paulo.

Mais informações pelo telefone: (11)3091-4938 ou por e-mail: comunicacaofflch@usp.br.