Nascimento de Tancredo Neves

Nunca saberemos como seria o governo do presidente eleito, mas podemos ter uma ideia a partir de sua trajetória política e do que representava dentro do contexto pós-golpe
Por
Lara Tannus
Data de Publicação
Editoria
Hoje na História

 

Tancredo Neves foi ministro da Justiça no governo Vargas e esteve ao seu lado até as horas finais de agosto de 1954 (Arte: Renan Braz)
Tancredo Neves foi ministro da Justiça no governo Vargas e esteve ao seu lado até as horas finais de agosto de 1954 (Arte: Renan Braz)


“Tancredo Neves representou a ponte entre os militares e os setores civis que poderíamos classificar de ‘liberais-moderados’”, diz Marcos Napolitano, docente do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, sobre o primeiro presidente eleito após o período de regime militar, em 1985. O político nasceu em 4 de março de 1910.

Embora Tancredo tenha sido contra o regime militar, seu perfil de “opositor moderado” lhe garantiu a eleição ao agradar parcialmente o projeto de abertura, além de ter o apoio das Forças Armadas. “Ele rejeitava publicamente qualquer ‘justiça de transição’ (que ele chamava de 'revanchismo') em relação aos torturadores, e não indicava nenhuma ruptura com a política econômica ligada ao grande capital, construída pelos militares”, diz o professor. 

Tancredo veio a falecer antes de conseguir exercer o mandato. “Não saberemos nunca como teria sido seu governo. Mas aposto que seria menos desastroso, errático e fisiológico do que o governo Sarney. Apesar disso, como a sociedade civil à época era mais mobilizada e progressista, a Constituição de 1988 incorporou muitas demandas dos setores mais democráticos e populares, como novos direitos civis e muitos direitos sociais. É esta parte da Constituição que está ameaçada pelo conservadorismo hoje em dia”, analisa o professor.